18 de julho de 2012

Crítica: Seita Mortal (2012)


Há um tempo falavam na internet sobre um tal filme de terror dirigido por Kevin Smith, um dos caras mais nerds do mundo do entretenimento. Não contavam detalhes da trama , só falavam que se chamaria de Red State, um dos projetos mais comentados, mesmo sem detalhes na trama, algo parecido com o projeto de Cabin in the Woods, que só depois que saiu ficou claro do que se tratava. Essa semana eu tava a procura de algum filme pra assisti e achei esse aqui chamado Seita Mortal e vi o título original Red State, baixei o filme na hora, sem nem ler a sinopse, nem ver o trailer, coisa que eu faço muito em filmes de terror.  O resultado é surpresa e decepção. O enredo do filme é criativo e a primeira metade é muito boa, mas se perde completamente da metade para o final. 

No enredo três amigos do colegial conhecem uma coroa na internet que diz querer transar com o trio, todos de um vez. Sem estranhar o grupo vai até a casa da estranha que mora em um trailer no meio do nada. Ao chegar no local, a coroa convida os três pra entrar e oferece umas cervejas, os três bebem felizes achando que iam dar uma galada na coroa, mas quando ela pede pra eles irem pro quarto eles começam a notar que foram drogados e desmaiam. Um deles acorda dentro de uma jaula em uma igreja, cheia de mulheres e crianças, pais e mães e um pastor que prega contra o homossexualismo, usando palavras da bíblia pra justificar os atos, como um Charles Manson da era moderna, com fiéis fanáticos que acham que estão fazendo o trabalho de Deus e purificando a terra.

A primeira metade do filme é muto boa como eu cometei e o filme se perde exatamente por tomar rumos diferentes do comum. Parece que Kevin Smith não soube se decidir se o filme era terror ou não. Olhando a primeira parte do filme você pensa que é um filme de sobrevivência, onde os personagens lutam por suas vidas contra a seita de fanáticos, mas essa oportunidade foi descartada pelo roteiro que toma um rumo diferente e bagunçado, apresentado novos personagens lá pela metade e esquecendo dos personagens principais que se tornam meros coadjuvantes na trama.


O grupo de jovens não revidam contra os crentes e isso chega a incomodar. Responde ai, se você fosse sequestrado por um bando de fanáticos e conseguido escapar sem ser notado e conseguisse uma metralhadora, o quê você faria? Atiraria e mataria todos pra ajudar seus amigos ou sairia correndo na frente deles pra eles correrem atrás? Agora, adivinhem o que um dos zé ruela do filme fez, exatamente a segunda opção. Será que os personagens de filmes de terror fazem curso para serem burros ao extremo, ou simplesmente não pensam no obvio?




O roteiro tem erros e mais erros a principal é por quê a seita queria matar o trio. Afinal nenhum deles era gay e estavam ali pra comer a coroa. E o delegado baitola clone do Ratinho então, que não teve função nenhuma no resto da história e é morto de forma tão banal que chega a ser engraçado de tão tosco.


Se o filme tivesse seguido o padrão simples de filme de terror com os personagens enfrentando, matando e sendo mortos pelos fanáticos seria pelo menos um filme bom, mas o diretor e roteirista Kevin Smith parece que decidiu fumar um cigarrinhos do capeta e o roteiro ficou essa bagunça. Eu tava torcendo pra que os personagens revidassem contra os crentes, mas isso não aconteceu e o filme entra na parte final com tiroteio, personagens mal ficando bonzinhos, policiais bons fazendo o quê é errado e essa merda toda.




Lá pela parte final acontece algo inesperado e até então surpreendente, mas quando o filme termina deixa várias pontas soltas que só não vou comentar pra não deixar spoilers.


O filme não chega a ser totalmente ruim, mas é um dos filmes que tem um dos roteiros mais bagunçados e sem noção que eu já vi, além de não se decidir entre terror, comédia, drama ou ação.

Postado por: Marcelo

5 comentários :

  1. Anônimo7/28/2012

    Que filme lixo, meu Deus UHAHUAUH.
    Os protagonistas foram pro brejo sem nem ao menos poder dar uma explicação aos policiais.

    ResponderExcluir
  2. gosto do fato de o filme ter um humor bem negro..
    a todo momento vc poder falar "que mancada!!" salva o filme.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo10/30/2012

    haha adorei seu comentário e francamente que roteiro chinfrim!!
    Por favor li a sinopsia e achei que seria um baita filme que nada uma porcaria da metade até o fim, e o que erá o detetive falando ao telefone?? pelo amos de Deus até eu faria melhor.

    ResponderExcluir
  4. Filme horrível. A mensagem do final do filme é até reflexiva, mas sinceramente é muita bagunça pra um filme só.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo5/31/2015

    Os jovens não eram gays, mas queriam compartilhar a mesma mulher, o que é considerado perversão. O filme deixa isso claro, a seita não era apenas anti-gay.

    ResponderExcluir