2 de agosto de 2012

Crítica: Aterrorizada (2011)


O quê leva diretores de filmes consagrados e considerados mestres do terror a entrar em decadência? Falta de um bom projeto ou um bom roteiro? Ou simplesmente perdem o talento que tinham antigamente? Essa é a pergunta que eu me faço quando eu vejo nos dias de hoje os filmes dirigidos por Tobe Hooper, Dario Argento, John Carpenter. E é essa pergunta que o público vai se fazer ao ver esse filme dirigido por um dos diretores que tem mais clássicos na filmografia, entre eles Halloween, O Enigma de Outro MundoPríncipe das Sombras, Fuga de Nova York, A Bruma Assassina, Christine - O Carro Assassino entre outros...


Em todos os filmes dirigidos pelo diretor mostrava que ele tinha um grande talento pra criar suspense e cenas práticas, sem o uso de efeitos computadorizados, já nesse não há nada que se destaque e que de indícios de ser dirigido por John Carpenter.

A história ambientada nos anos 60, mostra uma moça perturbada chamada Kristen, que logo no começo do filme é pega colocando fogo em uma casa ela é levada a uma uma clinica psiquiátrica, onde conhece outras garotas e aos poucos vai notando que algumas pacientes estão sumindo do local. Kristen desconfia que ali tem um espirito que está assombrando o hospital e matando as pacientes. O mais estranho é que os médicos parecem não notar o desaparecimento dos outros pacientes. Como ninguém acredita nela ela passa a explorar o hospital e tenta descobrir a verdade para salvar ela e aos pacientes.

Algo que eu achei bacana no roteiro é o suspense e as dúvidas de coisas que são deixadas sem explicação até o final. É bacana não ter certeza do que tava acontecendo. Os médicos estavam fazendo experiências ilegais e causando alucinações nas pacientes? As mortes eram culpa dos médicos? Kristen é louca ou não? O lugar é assombrado de verdade?  Só no final o público descobre com um final surpresa, inesperado, mas que já foi usado antes e não é nenhum pouco inovador.

O elenco não é ruim, a protagonista Amber Heard tá muito bem no papel principal, o resto não se destaca, mas também não tão ruins.

O filme se passa todo em um sanatório onde a personagem principal é assombrada e tenta desvendar um mistério, isso me lembrou muito Na Companhia do Medo em alguns momentos e a ambientação e as personagens me lembraram muito Possuída 2: Força Incontrolável, principalmente pelo cenário que é idêntico, em outros momentos lembrava muito o péssimo Asylum - Nós não estamos sozinhos, mas tá longe de ser ruim como ele, lembra também A Casa dos Horrores.


O espirito do filme lembra muito com os daqueles filmes ruins que são lançados direto em DVD que ninguém assiste. Longe de ser assustador e um tanto caricato. A cena que a personagem enfrenta o fantasma é tosca, o desfecho da cena é mais tosco ainda.

Aterrorizada é o tipo de filme que assistir ou não assistir não faz diferença, nem de longe parece que foi dirigido por John Carpenter. Momento nenhum a direção dele se destaca e o filme fica bem abaixo das expectativas. Não foi dessa vez que o mestre voltou a sua forma.

Postado por: Marcelo

Um comentário :

  1. tb tive as mesmas conclusoes em relaçao a sua critica ao fil.e ele é bemmeia boca mesmo.

    ResponderExcluir