6 de agosto de 2012

Crítica: Demons - Filhos das Trevas (1985)


Quem acompanha o blog sabe que 2012 não tá sendo um ano muito bom pro terror, muitas das produções lançadas esse ano nem sequer estreiam no cinema e já entram para a lista dos piores do ano. Ao mesmo tempo que esse ano tá sendo decepcionante com filmes lançados, também tá sendo um ano de boas surpresas pra mim. Já que o terror anda em baixa no cinema esse ano, decidi deixar os filmes novos de lado e partir para os que eu não tinha visto, principalmente os que tinham status de cult ou de clássico... Nunca é tarde pra conhecer um crássico. Alguns filmes de terror são como vinho, ficam melhores com o tempo. Foi só esse ano que conheci clássicos como A Noite dos Mortos-Vivos de 1968, Dia dos Mortos, Inverno de Sangue em Veneza, Comunhão, Quem Matou Rosemary? e o puta filmaço Demons - Filhos das Trevas. Uma produção italiana dirigida por Lamberto Bava (filho do cineasta Mario Bava) e lançada em 1985. Aquele tipo de filme que vai estar na lista de favoritos de qualquer fã do gênero e que com certeza merece ser visto. Quem ainda não conhece corre atrás que vale muito a pena ser visto e apreciado. 


O filme começa com uma moça andando sozinha pelo metrô e sendo seguida por um sujeito estranho, vestido de preto e com uma máscara de prata, pensando ser um assassino a moça corre e o sujeito corre atrás, para a surpresa da moça e do público o sujeito apenas entrega um ingresso de um cinema que será reaberto e irá apresentar um filme que ninguém conhece. Cherryl a moça do metrô decide levar a amiga Kathy para o cinema, mesmo sem saber qual filme vai ser exibido. 

Chegando no local são apresentados um grupo de personagens entre eles um cafetão e duas prostitutas, uma delas se fere ao usar uma máscara de metal que estava no saguão, junto a uma moto.Além do cafetão e as prostitutas tem também um cego, que foi ver o filme (!), junto com ele está a esposa infiel que até chega a trair o cara dentro da sala de cinema. Coitado do cara, além de cego e corno... A sessão começa e o filme apresentado é um terror que mostra três amigos, dois caras e uma moça explorando uma ruína a procura de um livro de profecias do profeta Nostradamus. Ao abrirem uma cripta encontram paginas de um livro que diz: "Eles farão dos cemitérios suas catedrais e  das cidades, seus túmulos". Além dessa profecia, um deles encontra uma máscara e ao colocar no rosto, acaba machucando como a prostituta no saguão do cinema. Depois de ferido pela mascara o cara passa mal e depois se transforma em demônio e em seguida tenta matar os amigos. Na plateia a prostituta também se sente mal e vai até o banheiro. Lá ela se transforma no primeiro demônio, matando todos que aparecem na frente dela.

As mordidas e os arranhões da demonha passam uma infecção e transformam a pessoa infectada em demônio também, quem for mordido, tá fudido. O caos logo toma conta do local, o grupo tenta fugir dali, mas todas as saídas estão lacradas e eles ficam confinados ali, tendo que lutar para saírem vivos dali.

A ideia do filme é bem básica e simples, mas funcionam muito bem . Um daqueles casos que usam da metalinguagem para tornar o filme envolvente. Fazendo o público se imaginar naquela situação. Imaginem quem assistiu esse filme no cinema então...

O filme todo se passa dentro daquele espaço confinado e o diretor faz bom uso disso para criar o terror do filme, com muito suspense e cenas que os personagens ficam sem saída, confinados e sem escapatória em ambientes cada vez mais claustrofóbicos.



Os efeitos especiais estão espetaculares, gore caprichadíssimo, além da cena fodástica, onde os demônios andam no escuro com os olhos brilhando, que até foi usado no cartaz. As cenas onde o pessoal é morto e se transformam em demônios com os dentes humanos caindo e dentes demoníacos aparecendo são espetaculares, aquela que o demônio sai das costas de um dos infectados/possuídos é do caralho. A maquiagem também é muito bem feita, até demais para aquela época. A maquiagem caracteriza bem os demônios, que momento nenhum me pareceram zumbis, como são chamados pelos menos atentos. Na sinopse do Filmow por exemplo diz que eles são zumbis e não demônios... Falta de atenção.

A trilha sonora também merece destaque, é excelente usando músicas de rock pesado dos anos 80 do mesmo jeito que A Volta dos Mortos-Vivos usou nas cenas de terror e correria e o resultado ficou bacana. Tem  Billy Idol, Accept, Pretty Maids, Motley Crue e Saxon, todos que estavam em alta naquela época.

O público xarope de hoje em dia pode apontar defeitos como a falta de explicação no roteiro, mas o público das antigas como eu sabe que isso momento nenhum é um defeito e pode até ser apontado como qualidade. O lance aqui é se divertir com o terror, foda-se o resto, sem essas soluções mastigadas e estupidas de  hoje em dia que tentam explicar tudo que acontece. De onde surgiram os demônios? Por quê eles se espalham com a mordida e arranhões? Quem armou aquilo tudo e por quê? A falta de explicação, nesse caso é uma qualidade e não deve ser apontado como furo de roteiro. Cagada seria explicar o inexplicável como fazem as produções de hoje em dia.

Depois de muitas e muitas cenas fodas o filme termina com um desfecho mais foda ainda, fugindo do convencional final feliz e surpreendendo com um final pessimista que tem até uma surpresa final. Demons é aquele tipo de filme que não se faz hoje em dia, com um climão tipico de filmes dos anos 80 que conseguiam misturar humor com terror de forma certeira ao som do bom e velho heavy metal. Pra quem não assistiu não perca tempo e corre atrás de uma das grandes obras-primas do terror.

Postado por: Marcelo

3 comentários :

  1. Clássico, vi Demons quando criança no tv terror ou cine trash não me lembro qual, muito bom esse filme. Preciso rever.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo5/25/2013

    Muito bom...tive o prazer de ver no cinema(sim tenho 43 anos)e até hoje ta na minha memória!! Pena q ainda não achei pra comprar!!! Duca

    ResponderExcluir
  3. Anônimo2/06/2016

    Link pra download: RMVB legendado http://adf.ly/1Wa34M

    ResponderExcluir