14 de agosto de 2012

Crítica: Quadrilha dos Sádicos (1977)


Os anos 70 foi uma das melhores décadas para o terror, uma década cheia de clássicos do terror. Grande parte filmes corajosos e sem muito apelo comercial. Foi também um ano em que os cineastas apostavam pesado na violência no cinema. Foi no começo dessa década que Wes Craven tinha chocado o público com o seu filme Aniversário Macabro, onde ele usou e abusou da violência, coisa que foi muito usada nos filmes que vieram em seguida. Quase 5 anos depois de Aniversário Macabro, o diretor lançou outro filme que se tornou um cult, The Hills Have Eyes ou Quadrilha dos Sádicos como foi chamado por aqui. Até hoje não sei como Pânico pode ser chamado de clássico do terror, enquanto esse que é melhor é tão pouco conhecido. É até estranho ver escrito na capa do DVD americano "Do diretor de Pânico", sendo que The Hills Have Eyes deveriam ter um status melhor do que apenas um filme que foi dirigido pelo mesmo diretor de Pânico.


No enredo uma família americana cruzando o deserto decidem procurar uma mina de prata herdada pelo Pai da familia, o policial aposentado Bob, além dele estão na viajem a esposa Ethel, as filhas Kathy e Liz, o filho mais novo Bobby e o cunhado Doug, além do bebê filho de Doug com Liz e mais dois cachorros. Ao chegarem a um posto de gasolina encontram um velho que diz para eles não entrarem no deserto e que ali é um lugar perigoso. A família não da atenção ao aviso do coroa e continuam a viagem, até que sofrem um acidente na estrada e o eixo do carro quebra, deixando a família no meio do deserto, onde habita uma família de selvagens canibais.

Embora tenha envelhecido um pouco, Quadrilha dos Sádicos ainda tem seu impacto. Não é qualquer diretor que consegue criar algo tão bom, com um orçamento tão limitado e curto como o desse filme. Wes Craven acerta ao conduzir o filme de forma lenta, fazendo bom uso do clima de suspense para deixar o filme envolvente. Além de fazer um bom uso de ângulos e posição da câmera pra criar tensão e mostrar que a família está cercada e que alguém está observando como sugere o titulo "The Hills Have Eyes". Assim como John Carpenter fez em Halloween, Wes Craven usa o lance de claustrofobia na ambientação do filme, tendo o mesmo clima. 



Quando o ataque a família começa o filme ganha um outro ritmo, mesmo não sendo mais tão chocante como deve ter sido na época em que foi lançado, a cena do ataque no trailer é uma das mais tensas do filme.

O filme tem lá seus defeitos como o lance do cachorro vingador , que vai em busca dos assassinos pra se vingar da morte da esposa (!). A família de canibais é meio caricata e parece que foram inspiradas em desenhos animados com aqueles colares de ossos no pescoço, mas nada disso chega a atrapalhar. 

O desfecho (que desfecho?!) poderia ter sido mais bem feito, parece que esqueceram de filmar o final da história e que decidiram acabar o filme sem um final. 

O filme continua inedito em DVD no Brasil, mas lá fora já foi lançado em DVD e Blu-ray. 

No lançamento o filme ganhou classificação Rated X, algo bem restrito como em filmes pornográficos. Wes Craven foi obrigado a censurar cenas do filme. Dizem que a cena do ataque ao trailer era bem mais longa e chocante. As cenas cortadas foram perdidas.

Quadrilha dos Sádicos é um bom filme da década de 70 e merece ser visto por saudosistas e fãs do gênero, mesmo tendo envelhecido um pouco continua sendo um dos grandes filmes da década de 70.

Postado por: Marcelo

2 comentários :

  1. Esse filme e meio parecido com o filme viagem Maldita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viagem Maldita é remake deste aqui.

      Excluir