1 de outubro de 2012

Crítica: Tucker e Dale Contra O Mal (2010)


Quem conhece bem o gênero terror está familiarizado com os clichês típicos de filmes de terror. Quem nunca viu um filme onde um grupo de jovens festeiros vão até um lugar isolado, para festejar, fumar maconha, beber e transar e acabam sendo vítimas de caipiras e/ou assassinos psicopatas?! Tucker e Dale brincam com a ideia  de usar os clichês mais batidos do gênero para criar situações cômicas, satirizando e homenageando filmes de terror dos mais variados.

O enredo segue um grupo de jovens, daqueles bem caricatos e estereotipados dos filmes de terror. Temos a loira burra e gostosa, o afro-americano que está li para falar merda nas horas erradas, a histérica que só grita, o cara que se acha o líder e o herói e por ai vai... Eles estão indo para um lugar isolado para fazer festa, transar, beber e fumar maconha, tudo que os jovens da série Sexta-feira 13 e afins estão tão acostumados a fazer. Antes de ir eles dão uma parada em um posto de gasolina e se deparam com os dois caipiras Tucker e o Dale. Dale sendo tímido tenta se aproximar do grupo, mas acaba ajindo de forma tão estranha que o grupo se assusta. Os amigos deixam o posto e vão até o tal local isolado e Tucker e Dale vão até a casa de veraneio pescar no lago. No fim da noite os jovens decidem nadar no lago e uma das moças acaba escorregando das pedras e fica inconsciente na água, sendo resgatada por Tucker e Dale. Seus amigos acham que ela foi sequestrada pela dupla e Chad, o tal líder metido a herói bola um plano para resgatar a moça. Mas um monte de eventos, mal entendidos e acidentes transforma tudo em um banho de sangue.

Mesmo quem não for tão familiarizado com filmes de terror vai se divertir com a trama de Tucker e Dale contra o Mal. Assim como Pânico e o mais recente O Segredo da Cabana fez, Tucker e Dale pegam os clichês conhecidos e reformulam e usam de forma certa e inteligente. 

Os personagens de Tucker e Dale são tão carismáticos que no segundo em que aparecem na tela já ganham a simpatia do público, já o resto dos jovens estão ali para morrer e são tão estúpidos que cada morte é mais merecida e cômica.

O roteiro mesmo sendo simples é inteligente e que muitas sacadas criativas. Algo que ficou implícito ali é que a falta de comunicação era o grande vilão como disse uma das moças em um ponto do filme. Além do lance de julgar o outro sem conhecer. Os jovens achavam que Tucker e Dale eram assassinos só pela aparecia deles e acontece que era o contrário um dos jovens do grupo é um verdadeiro psicopata. Algo que não não era esperado por ninguém.


O elenco conta com atores conhecidos pelos fãs de filmes de terror, tem Jesse Moss e Chelan Simmons (ambos de Premonição 3), Katrina Bowden de Piranha 2 e outros menos conhecidos. 

Me diverti muito vendo esse filme, um dos melhores terrir dos últimos tempos, com muitas cenas hilárias e divertidas. Eu poderia comentar várias das cenas engraçadas, mas acho que cada um deve ver por si mesmo. Com certeza merece uma conferida.  

Postado por: Marcelo

Um comentário :

  1. Anônimo10/01/2012

    concordo plenamente esse filme é muito engraçado ainda mais a reviravolta no terceiro ato muito bom

    ResponderExcluir