13 de janeiro de 2015

Critica: A Hora do Espanto (1985)


Aviso: O texto abaixo contém spoiler. 


Uma obra prima e legítima dos anos 80. Começo a minha critica falando sobre o que eu acho desse filme. Nos dias de hoje é muito raro, se não impossível, fazer um filme com a qualidade dos longas antigos sobre o gênero. Hoje em dia os vampiros andam sob a luz do dia, dão lição de moral, podem amar um humano ignorando os seus instintos, entre muitas outras 'fraquezas' que fazem o publico ter uma visão errônea sobre essas criaturas e o que elas realmente são. Por esses motivos, é bom que as pessoas mais 'tradicionais' fiquem nos anos 80. Foi, na minha opinião, uma das melhores épocas dos chupadores de sangue, e 'A Hora do Espanto' é uma evidência disso, ele serviu de inspiração para muitos filmes posteriores. 



Com uma história bem simples, o filme acabou ganhando legiões de fãs por mundo afora. Para vocês terem uma ideia, ele acabou superando 'A Hora do pesadelo 2' que na época tinha mais expectativas em cima dele, além de que a propaganda do filme era muito maior em relação ao da 'A Hora do Espanto'.

O jovem Charley Brewster é um adolescente normal como qualquer outro... Ele tem uma namorada, chamada Amy e um amigo chamado Ed, apelidado de 'Evil' por Charley. O jovem também é fã de um programa de televisão chamado 'A Hora do Espanto', no titulo original 'Fright Night', estrelado por Peter Vincent, o grande caçador de vampiros. 

A vida normal e tranquila de Charley começa a mudar quando ele começa a ver coisas estranhas envolvendo o seu novo vizinho, o sedutor Jerry Dandridge e o seu 'mordomo' (?), Billy Cole. A verdade é que nós não sabemos o que Billy é para Jerry, só sabemos que ele o ajuda como um empregado, só que com uma certa intimidade entre os dois.

Primeiro, Charley vê uma uma mulher entrando com Jerry na casa, durante a noite enquanto estudava, o jovem escuta um grito feminino vindo da casa de Jerry. Numa lanchonete Charley vê no jornal a foto da mulher que estava com Jerry na noite anterior, e pelo fato do rapaz ter ignorado Amy, ela da um fora nele e o Ed, zomba do amigo. Charley resolve espiar o que tem no porão da casa do vizinho, mas Billy o impede.
Mas, a confirmação de que Jerry é um vampiro vem quando Charley vê de sua janela. Jerry seduzindo uma mulher com suas presas caninas enormes e seus dedos com aquelas unhas de dar inveja a qualquer mulher. Nessa cena, o destaque também fica por conta da excelente trilha sonora com a instrumental de 'Come to me', uma trilha oportuna e hipnotizante que se torna a musica tema do filme. Logo em seguida, o jovem curioso vê Billy colocando um saco preto com o que parecia ter um corpo dentro, no porta-malas do carro. Jerry o vê espiando atrás de um arbusto. 

Já obcecado pelo mistério que rondava o vizinho, no dia seguinte Charley chama a policia e diz tudo sobre o que ele viu... Mas niguém acredita quando o jovem diz que Jerry é um vampiro e todos vão embora, a policia não fez nada, e nem fará durante o filme assim como também não faz falta. 

Então Charley fica com risco de vida por ter se exposto perante os vizinhos, é por isso que ele vai pedir ajuda para Ed sobre como matar vampiros. Aqui a gente fica sabendo que Crucifixo os queima, água benta também é uma boa arma, a luz do sol e estacas.

Na noite seguinte, Jerry faz uma visita a cada de Charlie onde a mãe do rapaz, Judy, o deixa entrar... A conversa entre Jerry Charley é bem hilária, o vampiro sempre demonstra uma certa simpatia e tranquilidade enquanto fala as suas ironias como: 


"Qual é o problema Charley, medo de que eu tenha entrado sem ter sido convidado?... Você está certo, bem certo. É claro que agora que eu fui bem recebido é provável que eu volte muitas vezes, sempre que eu quiser...".


Ainda naquele noite, no quarto de Charley, Jerry aparece e tenta matá-lo, mas não consegue, contudo ele enfurece Jerry ao machucá-lo. 

No dia seguinte, Charley vai atrás de Peter Vincent para pedir ajudar... Só que o apresentador do 'A Hora do Espanto' se mostra cético com relação a existência de vampiros e julga Charley como louco. 

Ao ver o quarto de Charley, Amy fica impressionada com a obsessão do rapaz em crer que o vizinho é um vampiro, então para tentar ajudá-lo. Ela e Ed vão até Peter Vincent e contratam os serviços do homem para ele fazer uma espécie de testes com Jerry na frente de Charley para que o rapaz se convença de que o vizinho não é um 'Sanguessuga'. 
Embora aparentando estar um pouco preocupado com os testes, Jerry os faz, e tudo sai como planejado. Charley não fica totalmente convencido, mas ele fica na dele para a segurança de Amy e Ed. Peter, por outro lado, descobre que Charley falava a verdade ao notar que Jerry não tinha reflexo no espelho, nesse momento nós ficamos sabendo que o grande matados de vampiros é uma farsa e que Peter Vincent é um homem medroso que nunca havia enfrentado essas criaturas antes. Jerry ao perceber que ele havia sido descoberto, resolve agir.



Primeiro, Ed é pego pela criatura quando ele se separa de Amy e Charley ao querer pegar um atalho por um beco escuro... A cena de Ed sendo perseguido por Jerry é boa, e o toque de aprofundamento dos personagens também são ótimas, por exemplo, quando o vampiro encurrala Ed, percebemos o garoto assustado chorando enquanto Jerry diz o que acontecerá daquele momento em diante.


Mais tarde, na casa de Peter, Ed aparece e tenta matá-lo... O rapaz agora é um vampiro extremamente feio. E ele fica mais feio ainda quando Peter, para se defender, coloca um crucifixo na testa do rapaz o queimando e fazendo uma marca em sua testa (tal marca se tornou tão marcante que em algumas edições do filme, Ed é a capa), o rapaz com dor foge do local. 


Depois, é a vez de Amy e Charley. A dupla, para fugir de Jerry, entram numa boate... E que boate ein. As musicas e o clima oitentista que ela possui são simplesmente aconchegantes e gostoso de ver e ouvir. Nesse momento, Jerry usa todo o seu poder de sedução para hipnotizar Amy, com direito até uma dança. Charley tenta tirar Amy das garras do vilão, mas não consegue, ao invés disso ele é advertido. Ele deve ir a casa de Jerry se quiser ver Amy outra vez. 



Enquanto isso, Peter estar arrumando as suas coisas para ir embora. Charley tenta convencê-lo a ficar para ajudá-lo a matar os vampiros que agora são 3... Ed, Jerry e Billy. Eu achei muito interessante esse momento em que Charley fala com Peter, é um pouco dramático, Peter chora e admite estar apavorado com a situação e Charley, segurando as mãos do homem, diz que ele é a única pessoa que pode ajudar a salvar Amy. 

Na casa de Jerry, Amy está num quarto hipnotizada, ela repara num quadro na parede de uma mulher que se parecia com ela, Jerry diz que foi uma pessoa que ele havia conhecido há muito tempo... Nada a respeito dela e de sua relação com Jerry nós é revelado, isso não é um defeito, realmente eu acho que o filme não tinha espaço para um drama de vampiro que provavelmente não iria acrescentar muito ao filme, saber que a pessoa do quadro é parecida com Amy já diz os motivos de Jerry em raptá-la por si só. O vampiro coloca uma musica (a musica tema do filme) e em um tom bem romântico, ele morde Amy. 

Ainda naquela noite, Charley e Peter entram na casa de Jerry que os esperava junto com Billy... Em primeira instância, Peter tenta usar o crucifixo para afugentar Jerry, mas ele fica sabendo que para o crucifixo ter efeito nele, é preciso ter fé, porém quando Charley está o segurando, o crucifixo surti efeito em Jerry... É nesse momento que temos outra evidência de que Billy não é um vampiro, a cruz não o afugentou, além disso, Billy também anda sobre a luz do dia e é ele o dono da casa enquanto Jerry não está presente. Ele dá um soco em Charley que caiu na hora e Peter saiu correndo da casa.

Na casa de Charley, Peter vai atrás da senhora Brewster, mas o que ele encontra lá é Ed que o ataca mais uma vez. Bom, eu já tinha ouvido falar de vampiros que se transformam em 'lobos', mas definitivamente achei um pouco estranho, quer dizer. Alguma coisa em ver Ed como um lobo soou mais para um lobisomem do que para um vampiro, mas isso é um mero detalhe. Aliás, uma cena muito interessante está aqui nessa parte. É quando Peter enfia uma estaca no lobo que após isso, vagarosamente vai ser transformando em humano. Os detalhes nessa cena são evidenciados e provocam um grande impacto... Como a cara de Ed em parecer que quer ser ajudado e quer que o sofrimento acabe, e Peter chorando enquanto vê Ed sofrendo a metamorfose. 


Bem, Charley é levado até Amy que percebe que ela está se transformando em vampiro. Jerry o tranca num quarto junto com a moça para que ela o mate.

Depois de recupera o fôlego, Peter tira a estaca de Ed e volta a casa de Jerry escondido para encontrar Charley. Quando ele os acha, ele diz que Amy pode ser salva se eles conseguirem matar o vampiro que a mordeu antes que amanheça. 

Logo em seguida vem outra cena muito interessante onde Billy aparece subindo as escadas, Peter tenta detê-lo o ameaçando com uma arma, mas ele não obedece. É aí que Billy leva um tiro na cabeça e cai por escada abaixo... Contudo, o homem se levanta e volta a subir a escadaria, Peter o enche de tiros, isso não o impede... Na primeira chance que Charley tem, ele enfia uma estaca no zumbi que lentamente vai se derretendo até virar um monte de ossos rolando pela escada abaixo... A cena do Billy se desintegrando também é interessante, principalmente pelos detalhes. 




Agora só falta Jerry, e ele pede a Amy para que ela acorde e mate os dois por ele... A vampira obedece, mas logo é trancada por Peter. E finalmente Peter demonstra ter fé quando o crucifixo começa a surtir efeito em Jerry justamente ao amanhecer. 


Jerry vira um morcego/monstro e ataca Peter... Ahh, os bons tempos em que vampiros se transformavam em morcegos. Nos dias atuais os vampiros não se transformam nesses animais por vários motivos, um deles é porque esses filmes estavam dando uma analogia errado aos morcegos e para os ambientalistas, isso era algo ruim, houve muitos debates sobre essa questão. Nem no remake desse filme, o Jerry (interpretado por Colin Farrell) se transforma em morcego. 


Ok, por causa da luz, Jerry vai se esconder no seu caixão que fica no porão da casa. Peter e Charley vão até lá para matá-lo. Mas, Amy também aparece e tentar matar Charley, a cena se tornou clássica pelo fato de mostrar Amy com aquela boca enorme cheia de dentes pontudos. 

E depois de muita briga entre eles. Charley e Peter quebram todas as janelas do porão fazendo Jerry pegar fogo até virar pó... Amy foi protegida por Charley e volta ao normal.

O filme acaba quando Charley e Amy estão no quarto do rapaz se beijando enquanto passa outro episódio do 'A Hora do Espanto' na TV. Da janela de Charley, na escuridão aparecem dois olhos vermelhos acompanhados do riso de Ed dizendo "Você é tão doce, Brewster...". O que indica é que Ed estava vivo e se regenerara quando Peter tirara a estaca dele. É um fato interessante e curioso, mas infelizmente essa questão só fica nesse filme já que na sequência que viria anos mais tarde, não traria Ed nele. 


O filme aborda várias situações metafóricas bem curiosas, e algumas polêmicas também. Uma delas é a analogia do homossexualismo. Algumas situações envolvendo Jerry e Billy dão a entender que os dois, mais do que amigos, eram amantes. Nos anos 80 houve a 'explosão da Aids' que era anexada ao homossexualismo (e ainda é, infelizmente, visto que nos dias atuais a Aids é transmitida mais entre relações heterossexuais do que homoafetivas). Uma das mensagens que o filme trás é: "Os vampiros são homossexuais e isso (homossexualismo) é coisa de monstros". E levando em conta que em pleno ano de 2015, há exatamente 30 anos do lançamento de 'A Hora do Espanto', essa analogia sobre o homossexual é batida e sem realidade alguma com os termos contemporâneos. E apesar disso, a qualidade do filme não é afetada por essa questão. 

Outro ponto que achei bem interessante no filme é o fato de que cada vampiro tem a sua característica própria. Tipo, enquanto Jerry se transforma naquele mostro, Ed vira um lobo e tem seus dentes puxados para frente, enquanto Amy tem seus cabelos crescidos e uma enorme boca cheia de presas afiadas. Acho que esse fato agregou um toque de curiosidade, surpresa e divertimento ao publico. 

Chris Saradon está incrível na pele do dedutor Jerry. William Rahsdale também convence bastante como o jovem Charley... Mas, para mim, o grande destaque foi do grande eterno Roddy McDowall (falecido em 1998), cuja sua participação se fez presente através do personagem Peter Vincent. Todo o elenco do filme é ótimo e cada um tem uma boa importância no filme, ninguém está la só por estar. Além disso, a trilha sonora excepcional deixa o longa mais gostoso de se ouvir com as musicas que fizeram sucesso na época. A sequência também é uma obra prima e vale ser conferida, mas sobre ela , falarei em outra critica.

E espero sinceramente que quem já viu esse filme, pense algo semelhante ao que eu penso. Que ele é um filme com uma qualidade surpreendente, possui um ritmo e ele consegue prender-nos na frente da tela até o seu fim... E quem ainda não viu, depois de ler o resumo do filme aqui, espero profundamente que resolvam ir atrás dele para visualizar o seu conteúdo, eu garanto que se não gostar, também não vai odiar, e muito menos será uma perda de tempo.


Por isso e por muita mais, a minha nota para o filme é: 8,5




Abaixo segue o vídeo com a musica tema do filme:










O filme também possui algumas curiosidades como:
  • O nome do personagem 'Peter Vincent' foi baseado nos de dois astros do gênero dos anos 60 e 70, Vincent Price e Peter Cushing. 
  • No Brasil, o título em português levou a uma correspondência forçada que distorceu a tradução dos de outros filmes do gênero, lançados na sequência, principalmente a série de Freddy Krueger (no original 'A Nightmare on Elm Street' o que significa 'Um pesadelo na Rua dos Olmos'), que no país ficou conhecida como 'A Hora do Pesadelo'. Outros do tipo foram 'A Hora da Zona Morta', 'A Hora do Lobisomem' e 'A Hora dos Mortos-Vivos'. 
  • O filme foi adaptado para a literatura por Craig Spector e John Skipp, e para os quadrinhos pela Now Comics. Também seus personagens apareceram num jogo eletrônico do tipo Arcade, de 1988, da Amiga Computers. 
  • O ator William Ragsdale quebrou o pé durante a filmagem da cena de disparo de revólver. 
  • O diretor Tom Holland e o ator Chris Sarandon voltaram a trabalhar juntos em outro filme de terror de sucesso: Child's Play, no Brasil, Brinquedo Assassino. 
  • Embora no filme façam papeis de adolescentes, William Ragsdale e a atriz Amanda Bearse tinham à época, respectivamente, 25 e 27 anos de idade. 
  • Amanda Bearse e o ator Stephen Geophreys voltaram a trabalhar juntos em um filme B para adolescentes chamado 'Fraternity Vacation', no Brasil, 'Quando a Turma sai de Férias'. Esse filme também teve a participação do futuro astro Tim Robbins. 
  • O sucesso de 'Fright Night' não só fez os filmes de vampiros voltarem à moda, como inspirou outros tais como 'Os Garotos Perdidos' e 'Once Bitten'. 
  • O filme ganhou em 2011 um remake. 
  • De todos os filmes de vampiro, este era o que tinha mais musicas, sendo que a trilha de Jerry era a que mais se destacava no filme. As músicas eram: Come to me, Good man in a bad time, Metharmophosis, Armies of the Night, Fright Night, Give It Up entre outras. 
  • O rosto monstruoso que aparece no pôster original do filme é de Amanda Bearse, na forma vampírica, só que redesenhado com detalhes em forma de fumaça. 
  • Chris Sarandon, o vampiro Jerry do original, faz uma rápida participação no remake. 

Acredito que eu já disse tudo o que tinha para dizer desse filme. Que foi um sucesso, que ele é extremamente bem feito, que possui uma excelente trilha sonora, que ele tem atores bem competentes e que ele é um marco, não só do cinema, mas também em reascender a ideia da mitologia vampiresca tal qual a conhecíamos, antes mesmo dessa 'moda' de fazer os vampiros serem criaturas da cultura pop.

Direção: Tom Holland.
Roteiro: Tom Holland.
Elenco: Chris Sarandon, William Rahsdale, Roddy McDowall, Amanda Bearse.

Por: Michael Kaleel.





Um comentário :

  1. Anônimo2/25/2015

    Tive o prazer de assistir este filme quando foi lançado nos cinemas. Para mim, o melhor filme de vampiros. A sequência é interessante mas ainda bem inferior ao primeiro. Quando adolescente, quase fiquei doido atrás da trilha sonora. Hoje com a internet se resolve problemas assim em minutos.

    ResponderExcluir