1 de abril de 2016

Crítica: The Slumber Party Massacre (1982)


O filme que trago para vocês hoje é uma ótima pedida para aqueles que amam os slashers oitentistas. Esse aqui não envelheceu muito bem, acabou no esquecimento, mas garanto que é bastante subestimado. The Slumber Party Massacre foi lançado por aqui na época do VHS por dois nomes (parecidos): "Slumber Party - O Massacre" e simplesmente "O Massacre". O título original significa "O Massacre da Festa do Pijama". Sempre ouvi falar dele, conhecia por nome, mas lembrei de vê-lo após ler uma lista sobre filmes de terror dirigidos por mulheres - e esse era um deles.

A história é bastante simples e se resume em: "Um psicopata foge do sanatório e aterroriza a noite de um grupo de amigas durante uma festa do pijama". De forma geral, não parece nada demais e para alguns pode soar tosco (achei um pouco também) - mas realmente me surpreendi com filme. Vou me aprofundar um pouco mais na história, mas são tantos personagens que não focar em seus nomes ou cenas em particular.

Então, há duas protagonistas em evidência: Trish, que está sozinha em casa e vai organizar uma festa do pijama com suas amigas - e Valerie, sua vizinha, que resolve não ir após ouvir comentários maldosos da amiga de Trish, apesar da insistência da mesma. No mesmo dia, ouvimos várias vezes através de rádios que um psicopata fugiu do sanatório e está foragido. A partir daí já é evidente que ele vai atrás das garotas, certo?


As primeiras vítimas do maníaco é uma eletricista que aparece rapidamente consertando algo na escola e depois Linda, uma das garotas, acaba morrendo quando volta à escola para pegar um livro que esqueceu e é perseguida pelo cara. Interessante falar que a arma que o maníaco usa é nada mais nada menos que uma furadeira!!

A noite chega e vemos três núcleos de personagens se chocarem enquanto morrem um a um: as garotas na festa do pijama, dois garotos que estão espiando elas e Valerie e sua irmã, do outro lado da rua.

Para aqueles que forem assistir ao filme com uma mente séria, eu garanto que não irá gostar. O diferencial de Slumber Party é que - no início da produção, a roteirista Rita Mae Brown queria fazer uma paródia dos slashers famosos da época, mas os produtores insistiram em fazer algo sério. Em seu tempo curto (1h17m), o filme consegue fazer um bom trabalho num filme bem bacana e divertido, mas você tem que entender que ele ainda tem esse clima de paródia, de certa forma. Ou seja, não é um filme pra se levar muito a sério, só entrar na onda.


Algumas cenas surpreendem, como por exemplo, a melhor em minha opinião: no final, há uma sequência em câmera lenta muito da bem feita e que de certa forma lembra alguns filmes atuais. Outra cena bem legal é a que o cara que entrega pizza chega e ao abrirem a porta, as garotas se deparam com o cadáver do cara sem olhos; ou a em que a irmã de Valerie abre a porta da geladeira na casa e encontra o corpo de uma das garotas.

O ator que faz o maníaco, Michael Villella, é um dos pontos fortes do filme. De certa forma, me incomodou um pouco simplesmente por que o cara se parece com alguém que qualquer um pode encontrar na rua, o que deixa a coisa mais estranha. Ele interpretou muito bem e sempre tem aquele olhar psicopata e doentio no rosto. Uma cena em particular é a que chama mais atenção: duas garotas estão se escondendo no quarto e não percebem que ele entra pela janela. Muito bizarro!

Para terminar o texto, devo dizer que gostei de Slumber Party mais do que esperava. Portanto recomendo a todos assistirem de mente aberta! Ah, e achei o filme completo e legendado no Youtube, vou deixar aqui embaixo!
por Neto Ribeiro

Título Original: The Slumber Party Massacre
Ano: 1982
Duração: 77 minutos
Direção: Amy Holden Jones
Roteiro: Rita Mae Brown
Elenco: Michelle Michaels, Robin Stille, Michael Villella, Debra Deliso, Andree Honore

Postar um comentário