31 de agosto de 2016

Crítica: O Enigma do Horizonte (1997)

Espaço infinito. Terror infinito.

O filme que trago hoje para vocês é um sci-fi horror dos trevosos: O Enigma do Horizonte (Event Horizon). É sem dúvidas um dos filmes mais subestimados que eu já vi, tanto pelo público quanto pelo própria produtora, que na época fez o maior descaso. Falo mais sobre isso mais a frente. Event Horizon é dirigido por Paul W. S. Anderson, que comandou 4 dos 6 filmes da franquia Resident Evil, além de dirigir Alien Vs. Predador (2003) e Mortal Kombat (1995). Calma, o cara pode ter dirigido muita bomba mas o filme aqui é de longe o seu melhor, lhe garanto. Talvez bata de frente com o primeiro Resident Evil (2002), mas acho que vocês entenderam meu ponto.

No filme, acompanhamos a tripulação da Lewis & Clark que é enviada para buscar a Event Horizon, uma nave que estava há 7 anos perdida, sem nenhum sinal dos tripulantes, e que reapareceu próximo a Netuno. A equipe de resgate é formada pelo capitão Miller (Laurence Fishburne), o médico William (Sam Neill) e responsável pelo design da Event Horizon quando a mesma foi construída e vários outros tripulantes.

Ao chegarem na nave que estava em órbita, não há nenhuma pessoa dentro. Após um acidente fazer com que a Lewis & Clark fique impossibilitada de navegar, eles são obrigados a ficar na Event Horizon. Não demora muito, eles acham uma filmagem onde veem os tripulantes da nave perdida matando uns aos outros, de forma violenta e bizarra, junto com a mensagem: "Salvem-se do inferno." Logo, os tripulantes são levados à loucura, com alucinações assustadoras que refletem seus piores medos.


Não recomendo ler esses parágrafos se não tiver visto o filme ainda!

O conceito de inferno no espaço foi o que mais me surpreendeu. Era como eu tivesse assistindo a uma mistura de Hellraiser com Alien. Uma mistura bizarra e criativa. O suspense é muito bem construído, principalmente quando você vai ver ele sem saber de nada, como eu fiz. Pensava que iria ver um sci-fi parecido com Alien, mas me deparei com um projeto bem diferente, que lembra de vez em quando O Iluminado. As filmagens do que aconteceu com a tripulação foi o que mais me pegou. Tais cenas são apresentadas rapidamente em flashes rápidos, mas são bem chocantes. É como se você tivesse tendo uma visão do purgatório bem na sua frente. E pasmem: essas cenas teriam mais espaço na versão do diretor, ou seja, veríamos com mais detalhes.

Para explicar um pouco: a nave Event Horizon foi desenvolvida para testar um experimento de gravidade, onde era possível criar um buraco negro dobrando a linha de espaço-tempo, quase um teletransporte. Mas não sabiam que para isso acontecer, a nave passaria por uma dimensão que supostamente seria o "inferno", onde a tripulação ficaria louca. É algo que não consigo explicar direito, só vendo para entender direito. Fim dos spoilers.


Eu nem conhecia esse filme mas resolvi assistir depois de achá-lo na Netflix e me interessar pela sinopse. O que eu encontrei foi um filme interessante mas que você no fundo sentia falta de certas coisas. Fui então pesquisar sobre ele e encontrei o que queria achar. Na época de produção, Anderson foi dado um certo tempo para finalizar o filme, mas esse tempo foi reduzido pela Paramount, o que deixou o cara em uma saia justa. Ele teve que se virar nos 30 para editar o projeto a tempo da estreia, por isso, ele teve que deixar várias cenas no chão da sala de edição. Para se ter uma noção, a versão final do filme teria mais de 2h, mas a versão lançada teve apenas 1h35m.

É por isso que a sensação que deixa é de algo incompleto. A história é tão interessante e bem contada até certo ponto, que a forma que é concluída não é muito satisfatória. Digo isso por que de certa forma o filme chegou a me assustar. E garanto que quando um filme consegue mexer comigo de alguma forma, ele tem meu respeito. Por isso eu defendo Event Horizon com unhas e dentes. É um filme injustiçado demais.
por Neto Ribeiro

Título Original: Event Horizon
Ano: 1997
Duração: 95 minutos
Direção: Paul W. S. Anderson
Roteiro: Philip Eisner
Elenco: Sam Neill, Laurence Fishburne, Joely Richardson, Jason Isaacs, Sean Pertwee, Kathleen Quinlan


3 comentários :

  1. Anônimo9/03/2016

    vala a pena conferir

    ResponderExcluir
  2. Anônimo9/13/2016

    Assistir a esse filme é sou da mesma opinião q a sua!

    ResponderExcluir
  3. Anônimo8/19/2017

    Clássico do terror espacial, assistia muito quando era pequeno. Porém, difícil de entender na época. De 5 estrelas as 4 foram super justas.

    ResponderExcluir