8 de setembro de 2016

Crítica: Colheita Maldita 4 (1996)


O primeiro filme lançado em 1984, baseado no livro do saudoso Stephen King que foi publicado em 1977, foi um sucesso, arrecadando mais de 14 milhões de dólares nos Estados Unidos. Apesar do sucesso, os críticos diziam que o filme era de 'bom' para 'ruim', chegando a ser classificado pelo rotten tomatoes com 34% de aprovação. O filme trouxe a história de crianças de uma pequena cidade rural chamada Gatlin, que veneram um 'Deus' que pede para eles matarem todos os adultos da cidade, crianças essas que eram lideradas pelo profeta Isaac.

E com o sucesso, uma sequencia acabou sendo lançada em 1993... Intitulado de "Colheita Maldita 2 O Sacrifício Final", é um filme extremamente inferior ao original, com cenas absurdas e ridículas (destaque para a senhora com uma cadeira de rodas com controle remoto). Apesar disso, eu revi o filme pela segunda vez há alguns meses, e até que não achei tão ruim assim, por favor, não me julguem, só acho que ele não é o pior da franquia e tem uma premissa boa, mas mau executada. O filme basicamente mostra o que aconteceu com as crianças de Gatlin e o retorno 'Daquele que Anda por trás das Fileiras'. 

Em 1995 veio "Colheita Maldita 3 A Colheita Urbana". Esse sim foi uma surpresa. Muitos consideram esse como o melhor da franquia, outros ainda acham que o primeiro ainda é insuperável, mas esse chegando perto da qualidade do filme de 1984. Bem, na historia temos um vilão mirim péssimo e sarcástico, Eli, que planeja matar todos os adultos que ele puder fazendo eles comerem milhos malditos de uma colheita que ele está fazendo numa área abandonada na cidade grande... Milhos que ele trouxe de Gatlin. Enquanto isso, o seu irmão mais velho, Joshua, tenta impedir os planos maléficos do irmão. O grande problema do filme, foi o final que beira ao ridículo devido aos 'defeitos especias', apesar disso, vale a pena dar uma conferida.

Um ano depois, em 1996, é lançado o filme "Children of the Corn IV The Gathering" ou no bom e velho português "Colheita Maldita 4". Eu também gostei muito desse filme, ele fica em algum lugar do top 4 melhores dessa franquia para mim, vou falar o porquê mais para frente. Esse quarto capitulo é dirigido por Greg Spence, produzido por Gary DePew e Jake Erbele, roteirizado por Sthepen Berger e no seu elenco temos Naomi Watts (A própria) que nesse período, ainda que tenha participado de outras produções, está em ascensão na indústria cinematográfica, sendo pouco conhecida no ramo. Mesmo sendo uma história independente, ainda aparece nos créditos que ele é baseado na obra de Sthepen King 'A Colheita Maldita'.

Acho que a pergunta mais emblemática para essa franquia é: 'Por quê?'... A Colheita Maldita, do jeito que foi produzida, devia ser único, sem continuações, apenas aquele único filme representando todo esse universo das crianças que seguem "Aquele que anda por trás das fileiras". Mas, é aquela coisa, enquanto estiver dando dinheiro, eles irão usar a fórmula até a exaustão. Assim como aconteceu com a franquia da casa assombrada de Amityville, a Colheita Maldita foi abusada por empresas gananciosos que se importaram mais com o lucro do que com a qualidade, os resultados disso são uma penca de filmes ruins que mancham essas franquias.
Preciso dizer que esse filme quase não tem relações com os seus três filmes antecessores, e também não temos a famosa cidade de Gatlin, ela nem sequer é mencionada, dessa forma, você pode ver esse filme sem problema algum, caso não tenha visto os outros. Partindo para a trama, os problemas começam quando um bêbado (Harrison Young) entra em um rancho abandonado e vai tomar água de um velho poço. Enquanto o balde desce até a fonte de água, vemos o cadáver putrefato de um menino encostado a uma das paredes do poço, o mesmo menino que aparece nos pesadelos de June. Ele repentinamente abre os olhos, e o Mal está livre para aterrorizar a cidade.

Watts é Grace Rhodes, uma jovem estudante de medicina que volta para a cidade de  Gran Island, também conhecida como a "Capital do Milho", cidade essa que também fica no Estado de Nebraska nos Estados Unidos. A jovem vai ver a sua mãe, June, e seus irmãos mais novos, James e Margareth. Não demora muito para percebermos que Grace tem um passado obscuro e misterioso que a forçou a fugir para a cidade grande, deixando a família para trás. Como resultado, a sua mãe teve que cuidar do rebelde James e da doce Margareth. E para completar, June possui problemas envolvendo medo de sair de casa e pesadelos relacionados a um garoto ferido que pede ajuda a ela.

Grace arranja um trabalho na clinica da cidade e passa a ajudar a cuidar de seus irmãos. Tudo está indo bem até que, repentinamente, Margareth fica doente, Grace cuida dela, mas daí ela percebe que James também está doente. A situação piora ainda mais quando a moça descobre que todas as crianças da cidade estão doentes, ninguém consegue entender porque só as crianças são infectadas e que tipo de gripe é essa. Dessas crianças se destacam um garoto que é hemofílico (um problema que impede o sangue de coagular, ou seja, qualquer corte e a pessoa pode sangrar até morrer porque a ferida não vai cicatrizar) chamado Markus Atkins, e dois irmãos gêmeos bem sinistros, Charlie e Scott McLellan.

Quando as crianças melhoram, algo fica errado. Todos os pequenos agem como se fossem outras crianças que já estavam mortas. Ao mesmo tempo em que isso acontece, outro fenômeno se espalha pela cidade, pessoas vão morrendo de forma misteriosa. As mortes de alguns personagens são até criativas, destaque para a morte da enfermeira, Mary Anne,  que examinava o sangue das crianças no hospital. E a morte do médico que cuidava dos gêmeos também no hospital, os dois diziam que não se chamavam Charlie nem Scott, mas sim Kaleb e Ezequiel. Nessa parte, o doutor conta a historia de Kaleb e Ezequiel para os gêmeos com o objetivo de fazer os dois pararem de fazer essa brincadeira (ele acha que os dois estão brincando) sem graça.


"Vocês sabem quantos anos eu tenho? Bem, eu sou bem velho. Eu morei aqui em Gram Island a vida inteira, eu estava aqui durante a segunda guerra mundial, estava aqui durante a depressão. Sabiam disso?... Quando garoto, eu estava aqui, haviam dois irmãos gêmeos dois anos mais velhos que eu, não eram garotos maus, só que haviam muitas coisas ruins e tristes na vida deles. Sabem aonde estou querendo chegar? Ezequiel e Kaleb Khan... Sabem o que aconteceu aos irmãos Khan? Eles foram mortos pelo pai, um deles foi baleado, o outro foi cortado com uma faca. Vocês acham isso uma coisa muito engraçada? Pois não é... ". 

Como eu disse acima, esse longa quase não tem relação com os anteriores, no entanto, podemos  fazer uma dedução. No filme é nos contado uma história de um garoto chamado Josiah que era uma criança pregadora da cidade, esse garoto tinha o 'poder de pregar' e muitas pessoas viajavam só para ouvi-ló. O problema era que conforme o tempo passava, aquele pregador mirim, não crescia, ele continuava sendo uma criança. Com o tempo, a população passou a ter medo daquele pregador e mataram ele o queimando vivo e tendo os seus restos mortais jogados no fundo de um poço. O diretor do filme, Greg Spence, revelou que em uma cena deletada, era mostrado dois personagens dizendo a Grace que as crianças chamavam seu pregador Josiah por outro nome: "Aquele que anda por detrás das fileiras", por esse motivo, podemos fazer uma pequena ligação desse filme com os outros três primeiros. Com as crianças possuídas, Grace une forças com Donald, o pai de Markus, para salvar as crianças dessa entidade.

Após ouvir a história de Josiah, Grace percebe que as crianças pretendem trazer a entidade de volta a vida, e que para isso, as crianças precisam fazer um pequeno sacrifício de sangue (os jovens possuídas cortam as suas mãos deixando o sangue escorrer), e com a morte de Margaret. Enquanto a briga entre Grace e Josiah acontecia, Ronald tentava salvar o seu filho que sangrava devido ao sacrifício. O filme acaba com Grace levando Margaret e James embora com ela.   

Acredito que o final poderia ser mais movimentado, a briga final entre Grace e a entidade é legal, mas rápida e simples, talvez a menos 'emocionante' da franquia. Outra coisa que senti falta nesse filme, foi da trilha sonora, ela foi a pior até então, sem impacto e não envolve. Isso é uma pena, uma boa trilha poderia melhorar o filme, principalmente no final. Além disso, uma pequena reviravolta entre o parentesco de Grace com Margaret (que de certa forma também está ligado a profecia do retorno de Josiah), é revelado, mas ainda não sei dizer se me convenceu. É claro que muito disso se deve a produção barata dessa película.

A mudança na história com a relação ao original, não foi tão bem aproveitada, até gostei da ideia das crianças serem possuídas, mas poderia ser muito melhor se aumentassem a relação com os outros filmes, tipo: Já pensou se o James fosse possuído pelo Isaac? Ou se o Markus fosse possuído pelo Eli?... Com certeza tornaria tudo mais interessante. Infelizmente não foi o que aconteceu, a falta de aprofundamento em algumas crianças as tornam um pouco indiferentes com o público, você não se importa com elas.


No começo da critica eu disse que esse filme entra fácil no top 4 melhores filmes da franquia, vou explicar porque: 'A Colheita maldita 2', embora tenha uma ligação com o original, é fraco demais, a minha visão dele melhorou depois que o revi, mas mesmo assim, não fez jus. A Colheita Urbana, trouxe uma boa história e um bom elenco que com exceção do final, o filme é uma boa pedida de entretenimento. A parte 5 intitulada de 'A Colheita Maldita V Campos do Terror' é cansativa com uma trama arrastada, ela tenta manter uma relação com a parte 4 e trás de volta 'Aquele que anda por trás das fileiras', mas não funciona bem e torna esse capítulo muito confuso e depressivo. A parte 6 intitulada de 'A Colheita Maldita 666 O Retorno de Isaac', mesmo com a volta de John Franklin reprisado o seu papel de Isaac, é uma completa porcaria, sem sentido e sem foco. Talvez a franquia tenha melhorado de qualidade no Gênesis e na readaptação do original que mesmo tendo personagens poucos carismáticos, tem uma história bem mais sombria que o do 1984.

Então, na minha lista fica: O original, a parte 3, a readaptação e essa parte 4 que mesmo sendo dos anos 90, trás uma ambientação gostosa daqueles filmes de terror dos anos 80.

Apesar do esforço do elenco e da história diferente das outras três partes da franquia, o filme não trás nada de novo, e dessa forma, não creio que você irá se surpreender, se assustar ou considerá-lo o melhor da saga até aqui, mas ele é um bom passatempo. Por tudo que foi dito acima, eu dou uma nota: 5,0. Não é um excelente filme, mas também não é uma porcaria. Existem filmes dessa franquia que conseguem ser muito piores como as partes 5 e 6, mas isso é história para outra critica, até lá.







O filme também possui alguma curiosidades, são elas. 

- Este é o primeiro filme da série feito direto para o mercado de vídeo, sem exibição nos cinemas, após o fracasso comercial do terceiro episódio.

- É o primeiro da série a ser produzido pela Dimension Films.

- Apesar da história se passar em Nebraska, as filmagens foram em Austin, no Texas.

- A frase do cartaz era: “Numa calma cidade do meio-oeste, um horrível mal irá renascer“.

- Brandon Kleyla, que interpreta o vilão Josiah, também fez o jovem James Whale no filme 'Deuses e Monstros'.

- A campanha publicitária do filme foi lançada citando apenas os nomes de Karen Black e William Windom, sem qualquer menção à hoje estrela Naomi Watts.

- Segundo a Watts, ela recebeu apenas 5 mil dólares pela sua participação nesse filme.


Ficha Técnica                                                         
                                                                            

Diretor: Greg Spence.
Roteiro: Stephen King (Baseado na obra 'A Colheita Maldita'), Stephen Berger.
Elenco: Naomi Watts, Jamie Renée Smith, Karen Black.

Sinopse: Na historia, várias crianças de uma pequena cidade se tornam possuídas sob o comando de uma criança pregadora chamada Josiah, que foi assassinada por engano e deseja vingança da cidade que o matou. As crianças assumem as identidades de crianças mortas na história da cidade, em tentam ressurgir Josiah dos mortos. 

Lançamento: 8 de Outubro de 1996.

                                  Assista ao trailer. 
video



   

Por: Michael Kaleel.

Um comentário :

  1. Anônimo9/12/2017

    Mesmo Assim adoro o primeiro filme a musica composta no filme foi 10 o máximo só de ouvir no youtube pearce que esta nele e fico olhando pros lados o tempo todo o Isaac vem te pegar pra ele Thais . lindinho ele adoro crianças assim nos filmes e lindos como ele uuiiii que desperdicio total ! o Ator Jhon Franklin primeiro filme foi o máximo bem feito por ele mas o 6 foi uma porcaria primeiro por que ele transa com a feia da HannaH Montana em vez desta gostosa e gatona que sou eu kkkk segundo , que não teve uma coisa assim mais .... real sem ação de verdade !
    E terceiro se tivesse a continuação dos personagens como o Isaac o Franklin seria bem melhor muita troca de personagens nunca dá certo ão fica bom ! e diretor do filme ? pra melhorar ele seria melhor fazer o sangue de verdade em vez de tinta e suco de beterraba kkkkk!

    ResponderExcluir