15 de setembro de 2016

Crítica: O Homem nas Trevas (2016)


Don’t Breathe ou O Homem nas Trevas (como foi intitulado no Brasil) é o novo filme da parceria entre Sam Raimi e Fede Alvarez, que em 2013 resultou no remake competente de A Morte do Demônio e agora resulta em um dos melhores - se não o melhor - thrillers do ano que faz jus ao título original, sendo um filme de tirar o fôlego, literalmente.

A trama é bem simples e direta e acompanha três jovens que levam a vida furtando casas com a ajuda de equipamentos de desarmamento de alarmes de segurança. O trio é composto por Rocky (Jane Levy, a Mia de A Morte do Demônio), que sonha em ir para Califórnia com a irmã, afim de fugir da mãe abusiva, Alex (Dylan Minnette) que é filho de um policial e nutre uma paixão platônica por Rocky, e Money (Daniel Zovatto), o namorado de Rocky, líder e bandidão do grupo, sem nenhum código de conduta e totalmente escroto, chegando a mijar no chão de uma das casas furtadas. E é ele que tem a brilhante ideia de roubar um ex-fuzileiro que perdeu a visão em uma missão no Iraque e recebeu uma indenização milionária depois que sua filha foi morta em um atropelamento causado por uma mulher rica. 


A ideia do trio é roubar a grana seguindo o esquema de desativar o alarme de segurança e entrar na casa sem serem notados. Mas as coisas saem do controle quando eles descobrem que o tal cara cego na verdade não é um mero deficiente visual.

Pronto! Falar mais que isso seria entregar os pontos. A trama básica é essa, mas o filme reserva surpresas e reviravoltas executadas de forma genial. 

Fede Alvarez faz bom uso da ambientação, iluminação e efeitos sonoros na construção de clima, que acreditem, é mais eficiente que todos os filmes lançados esse ano. Os efeitos sonoros são um elemento chave na construção de tensão. Cada ruído mínimo pode ser fatal para os personagens e o diretor tira proveito disso, dando muito mais foco aos ruídos bem trabalhados que na trilha sonora de Roque Baños, que aqui é quase inexistente, diferente daquela trilha chamativa e espetacular usada em Evil Dead


Outro ponto de destaque e a ausência dos falsos jumpscares, as poucas cenas que o filme assusta, o susto é genuíno e serve a propósito do enredo. Nada de personagem aparecendo de repente e aumento de som. As tais cenas de susto também fazem uso de efeitos sonoros bem trabalhados. 

Algo que merece ser destacado é a ótima interpretação de Stephen Lang, que faz um personagem que foge completamente do estereótipo de assassino frio, entregando um personagem que acaba ganhando a simpatia do público. Em alguns momentos eu me perguntei pra quem eu estava torcendo e isso é algo que não acontece com frequência no gênero. E se parar pra pensar o tal homem cego (sem nome definido) tem um passado mais trágico que a protagonista e também tem uma motivação plausível pra fazer o que faz.


Há algumas ideias emprestadas de filmes como Quarto do Pânico (2002) e Um Clarão nas Trevas (1967), alguns similaridades entre esses filmes são gritantes. O jeito que Alvarez faz o primeiro plano sequência de uma das casas roubadas, o personagem do Money idêntico ao do Jared Leto em Quarto do Pânico e Rocky lembra ligeiramente a personagem de Jodie Foster também. Tem também uma cena envolvendo o cego e os bandidos que remete a uma das cenas de Um Clarão nas Trevas, não vou entrar em detalhes pra não entregar spoilers... Fico me perguntando se tais cenas são homenagens ou uma simples cópia. Isso pode incomodar um pouco alguns, mas nada que atrapalhe.

O único ponto contra de O Homem nas Trevas é não fugir tanto da proposta como alguns teasers e comentários sugeriram. A primeira resenha do Bloody Disgusting dizia que o filme era como um "Hitchcock on crack", e não é nada disso. O filme reserva umas surpresas e umas reviravoltas, mas nada completamente fora da caixa. Acaba sendo só um thriller bastante efieciente pela execução acertada na direção de Fede Alvarez.


por Marcelo Alves

Título Original: Don't Breathe
Ano: 2016
Duração:
Direção: Fede Alvarez
Roteiro: Fede Alvarez, Rodo Sayagues
Elenco: Jane Levy, Dylan Minnette, Stephen Lang, Daniel Zovatto




Description: Rating: 4 out of 5

2 comentários :

  1. É realmente um bom suspense e vale a assistivel atenção de assistir assistidamente o movie.
    Eu só estranhei a atuação de Alex (Dylan Minnette) que parecia pouco se importar com os ferimentos que recebia, e ele foi o que mais apanhou e mesmo assim pareceu que economizaram na maquiagem dos ferimentos º~º quase a mesma coisa da Rocky ª~ª

    ResponderExcluir