2 de novembro de 2016

Crítica: Premonição 2 (2003)


Aviso: O texto abaixo contém spoilers. 

Em 2000 James Wong inovou com o filme 'Premonição' que trazia a morte como principal antagonista. A criatividade e a forma de como usaram essa ideia unindo ao desenvolvimento dos personagens, nos deu um longa muito bem orquestrado e acima dos padrões da maioria das filmografias que estavam saindo naquele período. Não seria surpresa alguma se uma continuação daquele sucesso, fosse feita. Foi o que aconteceu. 

Em 2003, 'Premonição 2' estava sendo lançado nos cinemas, dessa vez, dirigido por David R. Ellis (que faleceu em 2013), responsável por filmes como: "Serpentes a Bordo" e "Shark Night". Particularmente não gosto da visão de Ellis em seus filmes por colocar cenas de sexo gratuitas e desnecessárias em seus trabalhos, e por estereotipar demais os seus personagens, como por exemplo: A loira tem que ser burra, o bonitão tem que pensar só em sexo, o cabeludo tem que ser drogado, e assim por diante, mas tudo bem, pode-se dizer que de todas as produções dele que eu vi, Premonição 2 foi a melhor. 

A película tem uma introdução muito interessante, enquanto nós vemos uma moça dormindo num quarto bem sinistro com palhaços pendurados e aranha passeando pela cama por cima da jovem, ouvimos uma reportagem que passava na TV. Estava fazendo um ano após o acidente do voo 180, e um homem explicava como a morte estava perseguindo os sobreviventes daquela fatídica tragédia. Na verdade, essa rápida introdução serve como um resumo do que foi visto no primeiro filme, foi algo interessante e dinâmico. 

Mais tarde naquele mesmo dia, nós conhecemos Kimberly Corman (a jovem que dormia, interpretada por A.J. Cook que já participou de filmes B de terror como 'O mestre dos Desejos 3'), o seu pai Christopher Corman e a sua melhor amiga Shaina McKlank (Interpretada por Sarah Carter), uma curiosidade é que a A.j. Cook e a Sarah Carter já atuaram juntas no filme 'O Mestre dos Desejos 3'. As duas garotas, juntas com dois amigos da faculdade, vão para Daytona Beach aproveitar o final de semana. Quando as duas garotas partem, Christopher percebe que o carro está com vazamento de fluído de transmissão.

Depois de pegar o Frankie Whitman (Shaun Sipos) e o Dano Estevez (Alejandro Rae), o grupo pega a
estrada. Não demora nada para que a Kimberly comece a ver coisas estranhas na pista. Coisas que vão desde musicas como "Highway to Hell", que na tradução quer dizer "Estrada para o Inferno", até um menino brincando com seus carrinhos de brinquedo. Kimberly recebe a ligação de seu pai a alertando do vazamento, e todos os sinais que ela via na estrada, ela ignorava, afinal, não tinha porque dar tanta importância para aquelas coisas.

Nós conhecemos outras pessoas que estavam naquela estrada. A grávida Isabelle Hudson (Justina Machado). Nora Carpenter (Lynda Boyd) e seu filho Tim (James Nichol Kirk). O motoqueiro Eugene Dix (Terrence C. Carson). O policial Thomas Burke (interpretado por Michael Landes de '11/11/11'). Evan Lewis (interpretado por David Paetkau de 'Eu Sempre vou Saber o que Vocês Fizeram no Verão Passado' e 'Alien versus Predador 2'). O drogado, mas simpático Rory Petters (Jonathan Cherry). E a 'ocupada' Kat Jennings (Keegan Connor Tracy). 

Finalmente o acidente acontece, ele envolveu um caminhão que transportava troncos que se arrebenta fazendo os troncos caírem no meio da pista e causando um enorme engavetamento com direito a muitas explosões e capotamentos. A cena do acidente é muito bonita visualmente, embora nós possamos perceber que existem alguns problemas técnicos como o fato de parecer que os troncos provocam as explosões nos carros como se fossem "troncos-bombas", é algo estranho de se ver, mas no geral é um acidente muito bizarro e impressionante. As pessoas morrem nessa ordem: Thomas, Eugene, Rory, Kat, Nora, Tim, Evan, Kimberly e seus amigos.     

Assim como no primeiro filme, tudo não passava de uma visão que estava prestes a se tornar realidade. Kimberly percebe que tudo está acontecendo como o seu sonho, então ela se desespera e bloqueia a rua para que ninguém possa seguir na pista. O policial Thomas se aproxima de Kimberly, pede para ela sair do veículo e tenta entender o que está acontecendo, mas não acredita na história que ela conta. Não demora para que o acidente aconteça e Kimberly vê seus amigos morrerem quando um caminhão bate no carro o explodindo. A cena do engavetamento é muito boa e não tem o que falar dela, com certeza impressiona tanto quanto o acidente do avião no filme anterior. Um ponto curioso é que o acidente aconteceu num local bem antes do visto na premonição, muitos podem considerar isso um erro, entretanto, talvez a morte tenha mudados os planos uma vez que as mortes já haviam sido interferidas por Kimberly, então o fato do acidente ter acontecido em outro local e de um jeito diferente se deve mais por uma questão de interpretação do que falha no roteiro.

O grupo de sobreviventes é levado para a delegacia para serem ouvidos, Kimberly diz que teve uma premonição e a compara com a história do cara que teve uma visão de um avião explodindo, aí ele tirou os amigos da aeronave que explodiu logo na decolagem, essa parte possui uma comparação direta muito interessante ao primeiro filme, além disso, nós vemos com mais clareza a personalidade dos sobreviventes. A partir daí todo mundo sabe o que vai acontecer. Um a um os sobreviventes vão morrendo em acidentes criativos e bizarros. 

A primeira vitima da lista da morte é Evan, o ganhador da loteria. Numa sequência muito divertida e criativa, nós vemos todas as suas ações resultando na sua morte da forma mais inesperada possível, duvido que alguém que viu o filme pela primeira vez tenha acertado de primeira como ele morreu. O mais interessante é que no decorrer dessa parte, existem várias dicas que mostram como ele iria morrer.

A morte de Evan é transmitida nos jornais e isso alarma os outros sobreviventes que começam a pesquisar sobre premonições e mortes bizarras. Eis que eles chegam na famosa história da "maldição do voo 180" outra vez. Nessa parte nós ficamos sabendo o que aconteceu com Alex, pelo que parece, um tijolo da casa de seu vizinho o atingiu no rosto o matando, final triste para um personagem tão importante como ele. Kimberly acaba descobrindo onde Clear está, ela vai atrás da sobrevivente.

Rivers está num hospital psiquiátrico para se proteger de qualquer coisa que pode causar a sua morte, afinal, ela era a ultima sobrevivente do voo 180 que ainda estava viva. Numa conversa bem interessante, Kimberly percebe que ela e seus amigos realmente estão dentro de um esquema que a morte planejou. E juntas, também descobrem que a morte está atacando na versão contraria a ordem que as pessoas deviam ter morrido no engavetamento. Por isso os amigos da Kimberly foram os primeiros a morrer (Tinham sido os últimos na premonição).  É uma parte bem interessante com boas referências, não só ao primeiro filme, mas também a outros como 'Hellraiser 2'.

Depois disso, Kimberly se encontra com Thomas para conversar sobre a morte de Evan, é quando a jovem vê um sinal que indica a próxima morte. Numa sequência envolvendo um consultório odontológico e pombos nós vemos o segundo a morrer. Foi curiosa e interessante, mas não achei tão elaborada quanto a do Evan, embora essa morte tenha seguido o mesmo estilo de fazer o público achar que a pessoa da vez vai morrer de uma forma, mas acaba morrendo de outra forma inesperada, diferente... E inimaginável.



Depois dessa morte, Clear se une a Kimberly e a Thomas, e os leva até o agente funerário William Bludworth (Ainda interpretado por Tony Todd de 'A Noite dos Mortos Vivos' de 1990)... O homem misterioso afirma que apenas uma nova vida pode forçar a morte a recomeçar um nova lista... O fato é que Isabelle Hudson está gravida, logo o trio deduz que se o filho de Isabelle nascer, entraria uma pessoa que a morte não previa em seu esquema, logo ela seria obrigada a mudar a lista e deixar o grupo em paz. Kimberly tem uma outra visão, diferente da premonição do engavetamento, essa visão era confusa e desfocada, nós víamos uma pessoa numa van branca caindo num lago e se afogando dentro do veículo. Thomas, rastreia o numero da placa da van que Isabelle dirigia e faz um mandato de busca e apreensão.   

Depois disso, Kimberly, Clear e Thomas reúne o grupo de sobreviventes do engavetamento para explicar à eles que todos correm perigo. Kat, Rory, Eugene e Nora vão até a casa de Thomas onde são alertados dos acontecimentos. É claro que nem todos acreditam nessa história, Nora está bastante abalada com a morte de seu filho, para Rory e Kat tudo não passa de uma história/brincadeira da qual eles entram no jogo, e Eugene se mostra totalmente cético. Nessa parte temos momentos muito interessantes como a tentativa da morte em matar Clear, mesmo sendo simples, deixou claro que a vilã está atrás da ultima sobrevivente do voo 180. Temos também um dos sinais mais assustadores de toda a franquia, sinal esse que envolve uma sombra de vários objetos. E por fim, a terceira morte que envolve ganchos e um elevador, achei ela muito interessante porque existem casos e casos de pessoas que morreram em elevadores, e isso torna a cena mais realista e impactante. A partir desse momento todo mundo passa a acreditar que a morte está os perseguindo. Isabelle é detida pela policia e fica sob custódia preventiva. 



Isabelle começa a entrar em trabalho de parto e o único policial que estava a vigiando decide levá-la ao hospital. Enquanto isso, Kimberly, Kat, Thomas, Clear, Eugene e Rory estão indo para a delegacia se encontrar com Isabelle. Durante o caminho, cada pessoa começa a falar sobre experiências passadas em que eles haviam enganado a morte. O grupo começa a perceber um padrão, todos que estavam ali (exceto Clear), estavam vivos porque os amigos de Clear haviam saído do avião 180, e isso gerou um efeito dominó no esquema da morte uma vez que os sobreviventes do voo 180  (Que deveriam estar mortos), estavam se interferindo na vida de todos que entraram em contato com eles desde então. Então a morte decidiu matar de forma contrária justamente para acabar com essa confusão e restaurar a ordem das coisas. É uma ótima interpretação dos acontecimentos, isso amarrou ainda mais o primeiro com essa continuação.


O grupo sofre um acidente onde Eugene acaba ficando ferido e Kat ficando presa no carro, a família que é dona da fazendo em que aconteceu o acidente, aparece para ajudar. O grupo recebe a notícia de que Isabelle está indo para o hospital ter o bebê. Eugene é levado pela ambulância... O corpo de bombeiros chegam no local e tentam tirar Kat do carro, e uma van de uma emissora de televisão também aparece para fazer a cobertura do acidente. Um descuido do bombeiro acaba provocando duas mortes. A morte de Kat foi ocasionada, principalmente, por um erro humano, e tipo, foi interessante se evidenciarmos a burrice dos bombeiros de não tirar o objeto que a matou. Já a morte de Rory, para mim, foi uma das mais fracas e forçadas do filme. Mesmo com o impacto da explosão, acho muito improvável a cerca de arame voar da forma que voou. Clear, Thomas e Kimberly vão para o hospital.

No caminho, Kimberly tem uma outra visão, dessa vez é como se alguém tentasse enforcá-la, logo ela deduz que uma enfermeira iria provocar a morte de Isabelle. No hospital, o grupo corre contra o tempo para salvar Eugene e garantir que o bebê de Isabelle nasça em segurança. Enfim, após muita correira e complicações no parto, o bebê nasce são e salvo. Os aparelhos do Eugene (que haviam sido comprometidos pela morte) voltam a funcionar, todos acham que venceram a morte... Até o momento em que Kimberly tem uma nova visão onde mostra que Isabelle não ia morrer no engavetamento, e que as visões que a Kimberly havia tido até então, tinha o envolvimento de alguém com as mãos feridas. Clear deduz que é Eugene e vai vê-lo. É aí que a nossa ultima sobrevivente do voo 180, junto com Eugene, vão para os ares. 

Nesse terceiro ato, as cenas ficaram confusas, quando o bebê nasce e os aparelhos do Eugene voltam a funcionar, dá a entender que o grupo realmente se salvou... Mas, logo em seguida, ficamos sabendo que Isabelle e o seu filho não tinham ligações com o grupo, então a lista continuava a mesma, o que resultou na morte de Clear e do Eugene. isso faz parecer com que existe uma confusão no roteiro quando na verdade o próprio roteiro tentou enganar o público fazendo com que as pessoas pensassem que a morte iria reiniciar sua lista, no entanto, foi desnecessário já que em uns 10 segundos depois, nós ficamos sabendo que Isabelle e seu filho não tem nada a ver com Clear, Kimberly, Eugene e Thomas.    


Após a morte de Clear e Eugene, Kimberly começa a pensar em suas visões e no que William havia dito a ela. Finalmente ela entendeu que a 'nova vida engana a morte', não se tratava do nascimento de alguém que não estava na lista, mas sim de morrer e voltar a vida. A jovem deduz que para ela e Thomas viver, ela tem que morrer, então ela pega a van de Isabelle e se joga no lago onde se afoga. Thomas a resgata e a enfermeira de sua visão a salva. Agora, tudo estava bem. 

Alguns meses depois, Kimberly, seu pai e Thomas, estavam num churrasco ao ar livre da familia dona da fazenda que havia acontecido o acidente de carro, tudo parece está indo bem até que uma explosão mata o filho da família e a mãe fica gritando desesperada quando o braço do rapaz cvai em seu prato, fim. Um fato interessante é que o mesmo aconteceu com Alex no primeiro filme. Ele segurou o fio elétrico para Clear sair do carro, por causa disso, ele morreu por alguns segundos até que os detetives o trouxeram de volta, meses depois se passaram para a morte voltar a atacar em Paris. Em Premonição 2, acontece quase a mesma coisa, Thomas salvou Kimberly que morreu e voltou a vida graças a enfermeira, meses depois, a morte reaparece para continuar o seu trabalho. O que podemos entender com isso é que morrer e voltar a vida não salva você do esquema, apenas retarda a sua morte em alguns meses.     

Bem, após tudo dito acima, podemos concluir que 'Premonição 2' é um filme competente que está bem ali, pertinho da qualidade do original, mas não é melhor. Temos uma história interessante que faz sentido e amplia a visão que tínhamos do primeiro filme, temos um elenco bom e que faz um bom trabalho, se existe alguma empatia por alguns personagens (Para mim, o Thomas, Rory e até mesmo a Kat), o problema não foi da atuação, mas do roteiro que não ajudou esses personagens a se desenvolverem. 

O maior problema do filme é a falta de atenção nos pequenos detalhes e no aprofundamento dos personagens que se formos comparar com os do primeiro, esses são menos complexos e mais estereotipados. Temos algumas morte muito interessantes no decorrer do longa como a do Evan e a de Nora... Mas ao mesmo tempo nós temos mortes exageradas que podem soar falsas aos olhos de pessoas mais críticas, como a morte de Rory. A trilha sonora é diferente do primeiro capítulo, mas também é boa, os efeitos das explosões são ótimas, são melhores que explosões de muitos filmes lançados uma década depois. E mesmo com os defeitos, ele tem mais acertos que erros. Por isso a minha nota é 7,5.      

Bom gente,  acho que isso é tudo que posso falar sobre o filme em si. Abaixo eu ccolocarei algumas curiosidades sobre o filme. até a próxima.

  Menções ao número 180:

- Existe várias citações relacionadas ao voo 180 no decorrer do filme.


- Quando Kim está de pé ao lado de seu carro, na rampa de saída e pouco antes de Thomas puxá-la para fora do perigo, ela vê um sinal de obras escrito "NEXT 180 MILES". Essa é uma referência ao voo 180 do primeiro filme.

- A rua em que acontece esse mesmo acidente é no quilometro 180.


Curiosidades: 



- A música de John Denver "Rocky Mountain High", que acompanhou a maioria das mortes no filme original, toca no elevador e no consultório do dentista.

- O Sanatório Stonybrook que Clear está internada é o mesmo sanatório usado na abertura de Halloween: Ressurreição.

- No original Final Destination, muitos personagens tem o nome ou sobrenome de estrelas de terror ou diretores de cinema. Neste filme, o sobrenome de Kimberly Corman homenageia o famoso diretor Roger Corman. Assim como Tim e Nora Carpenter homenageiam o grande John Carpenter. 

- Quando Kim entra no sanatório as palavras "tirem eles daqui" podem ser ouvidas vindo de uma das
celas. Esta é uma referência a um lunático de Hellbound: Hellraiser II, que esculpiu-se com um navalha pois sofria de um delírio em que achava que seu próprio corpo estava coberto de insetos.

- Todos os âncoras de jornais que aparecem no filme são âncoras reais de emissoras locais de Vancouver.

- Toras reais foram testadas para a sequência da colisão, mas elas não "quicavam o suficiente", então no filme, as toras são CGI.

- A placa do carro que sofre acidente na fazenda é: "TFH - 25E9". 25/9 é a data de aniversário do Alex do primeiro filme.

- Quando o Tim sai do consultório do dentista, o nome no letreiro diz "Ellis Medical Complex", Ellis é o nome do diretor desse filme

- Jonathan Cherry fez teste para o papel de Evan.

- É o único filme da franquia que não temos nenhum tipo de funeral. 

- O personagem de Tim deveria ter sete anos, mas a New Line achou que seria muito duro assistir uma criança morrendo.

- Para filmar a sequência do engavetamento, vários quilômetros da rodovia tiveram que ser fechados por dias.

- Keegan Connor Tracy que interpreta Kat foi escolhida 5 dias antes das filmagens.

- O livro que Tim está lendo é de Stephen King, "Saco de Ossos".

- O ônibus escolar cheio de alunos gritando "vira, vira" é de Mt. Abraham, a mesma cidade das vítimas do primeiro filme.

- Quando Nora dá boa-noite a Tim diminuindo as luzes do quarto, o rosto do garoto se ilumina com um contorno do crânio.

- No filme, a personagem de Ali Larter está no Stonybrook . No entanto, há uma cidade real chamada Stony Brook, em Long Island, que é o lar de uma universidade de médico-hospitalares que leva seu nome. O mapa apresentado no site e no filme é a localização real.

- No começo do filme existe um adesivo que diz "ROAD TRIP". O "T" é coberto, então vemos "estrada RIP", insinuando o acidente prestes a acontecer.

- O fogo que mata Clear e Eugene seria iniciado por um bolo de aniversário, isso pode ser visto no
trailer. 

- Quando Evan vai para seu apartamento antes de sua morte, você pode ver uma boneca no chão que está sem um olho.

- Originalmente, Devon Sawa reprisaria seu papel neste filme, mas uma disputa sobre o seu contrato com a New Line Cinema não pode ser resolvido. Neste filme existe um recorte de jornal que informa que seu personagem, Alex, morreu devido a um tijolo que caiu sobre sua cabeça.

- Quando Kimberly sai da sala em que a Clear está trancada, vemos-a na câmera de vídeo dando o dedo pra Clear. Se você prestar atenção no resto do corredor, parece uma rodovia.

- No início quando Kimberly acorda de repente, você pode ouvir Tony Todd dizendo "Kimberly".

- Quando Tim está prestes a ser esmagado, os tijolos no chão formam um X, indicando Tim como um alvo.

- Pouco antes de Nora entrar no elevador, o visor do andar mostra uma seta para baixo e um 3, formando o n° 13.

- Na versão em inglês, quando Rory é morto pelas cercas, se você ouvir com atenção poderá ouvir alguém da produção elogiando o bom trabalho do dublê.

Ficha Técnica



Titulo Original: Final Destination 2.
Titulo em Português: Premonição 2.
Diretor: Davir R. Ellis.
Roteiro: Eric Bress, J. Mackye Gruber.

Elenco: Ali Larter (Clear Rivers), A.J. Cook (Kimberly Corman),
 Justine Machado (Isabelle Hudson), Lynda Boyd (Nora Carpenter), James Nichol Kirk (Tim Carpenter), Terrence C. Carson (Eugene Dix),  Michael Landes (Thomas Burke), David Paetkau (Evan Lewis), Jonathan Cherry (Rory Petters), Keegan Connor Tracy (Kat Jennings).
Sinopse:  Kimberly Corman é uma jovem que está viajando pela estrada 23 para passar um final de semana com seus amigos, até que vê diante de si um caminhão com peso excessivo de madeira tombar e se desgovernar, causando um grande acidente que resulta em uma grande quantidade de metal retorcido e corpos, incluindo o dela. Porém, nada disso aconteceu. Kimberly ainda está na estrada 23, totalmente ilesa, mas acredita que a visão que teve foi um aviso. Ela para seu carro na estrada e provoca um grande congestionamento, ainda temerosa se o que viu realmente irá acontecer. O caminhão vem, tomba diante dela e dos motoristas atrás de seu carro e mata um grande número de pessoas, fazendo com que Kimberly e os motoristas atrás de seu carro saiam ilesos por pouco. Com uma forte sensação de que tudo não acabou naquele acidente e que a morte está atrás dela, Kimberly decide procurar por Clear Rivers, única sobrevivente do vôo 180, que está agora internada, por vontade própria, em um hospital psiquiátrico. Clear acredita que está segura no hospital e não terá o mesmo destino que seus amigos, que morreram um a um, mas a chegada de Kimberly irá modificar esta falsa sensação de segurança.

Trailer
video


Por: Michael Kaleel.

Description: Rating: 4 out of 5

3 comentários :

  1. Tem um erro na dublagem da versão brasileira, quando Nora esta presa no elevador na dublagem é dito "Me ajudem", porém na versão original Nora diz "I wanna die" (eu quero morrer).

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a critica, Mas podiam ter falado mais sobre a morte final do garoto.
    O garoto originalmente não iria morrer, mas pelo que parece quando kimberly se salvou(e aos outros na estrada) a ordem natural foi alterada, tanto que o garoto iria morrer atropelado pela van(que nem deveria estar ai) e foi salvo(ou seja enganou a morte), Por isso os protagonistas sem olham antes da explosão do final do filme.

    ResponderExcluir
  3. Outra: na versão interativa do terceiro filme é mostrado que Kimberly e Thomas morreram.

    ResponderExcluir