27 de janeiro de 2017

Crítica: Resident Evil - O Capítulo Final (2017)


Quem diria que a minha franquia de jogos favorita seria a mesma (e única) franquia que fora adaptada dos jogos para o cinema e que teve um relativo sucesso. A prova disso é que estamos chegando no sexto e último ou não filme da franquia. 

O primeiro filme começou em 2002 intitulado de 'Resident Evil: O Hóspede Maldito' e desde então veio trazendo capítulos que, assim como nos jogos, se afastaram um pouco do terror e deram espaço para a ação desenfreada, também, a forma independente de como os filmes têm saído em relação aos jogos é algo de debates até os dias atuais. Acredito que o filme mais agrada do que desagrada, apesar das diferenças que tomou força no terceiro filme da franquia intitulado de 'Resident Evil: Extinção'.

Nas películas, nos acompanhamos Alice (Personagem unicamente dos filmes), que num mundo pós-apocalíptico luta contra monstros para destruir a famosa Umbrella Corporation e seus aliados que continuam fazendo as suas experiências a fim de estudar os ricos biológicos dos vírus que ela cria. Durante essa batalha, Alice vai unindo forças com personagens bastante conhecidos pelos jogadores.

Essa sexta parte trás Alice numa ultima briga para acabar com a Umbrella e todo seu mal que se espalhou pelo mundo. O filme começa de uma forma bem interessante, explicando coisas que até então eram desconhecidas. A nossa protagonista nos revela que o T-Vírus foi criado para impedir que uma garota chamada Alicia, filha de Marcus, um dos principais fundadores da Umbrella, continue sofrendo com a sua doença que a faz envelhecer rapidamente. O vírus ajudou a jovem garota, mas ele tinha efeitos colaterais, após um acidente envolvendo os primeiros zumbis, Marcus decidiu acabar com os projetos envolvendo o T-Vírus, mas o seu parceiro Isaacs, com a ajuda de Wesker, se rebelam e tomam conta da empresa enquanto Alicia fica sob custódia de Isaacs. E assim, se desencadeou os problemas envolvendo a Colmeia no primeiro filme, e foi assim que o fim do mundo teve inicio.

Depois dessa explicação, Alice está em Washington tentando sobreviver como sempre fez... Leon, Ada, Jill e Becky nem sequer são mencionados, o que é uma pena... Tudo o que sabemos é que Wesker fingiu ter devolvido os poderes de Alice, traiu o grupo (ele ainda trabalha para a Umbrella Corporation) e fugiu. Isso não tem muito sentido se for analisado em relação ao 'Retribuição'... Alice estava presa numa sede da Umbrella e Wesker organizou um grupo liderado por Leon para tirá-la de lá... Então porque ele tiraria a Alice da Umbrella se ele trabalhava para Umbrella? Bem, durante os seus dias de sobrevivente, Alice luta contra criaturas que dominaram o mundo, além delas, temos os soldados da Umbrella que insistem em não só tentar capturá-la, mas também em acabar com o que sobrou da humanidade.

Alice acaba descobrindo através de uma ajuda inusitada de que em 48 horas a Umbrella vai matar os últimos humanos vivos que existem no mundo com exércitos de zumbis que estão sendo criados por Isaacs, e Wesker que está na Colmeia, a mesma sede da Umbrella do primeiro filme.


No caminho, Alice encontra alguns problemas envolvendo Isaacs. Além disso, a heroína se encontra com novos e velhos aliados, são eles: Claire Redfield, Christian, Doc, Razor, Abigail e Cobalt. A questão aqui é que, como sempre, temos personagens que só estão na tela para morrer. Para vocês terem uma ideia, tem um personagem em particular que tinha potencial para chegar até o fim do longa, no entanto, esse personagem fala umas quatro frases e morre logo, sim, foi uma surpresa e inesperado a morte desse cidadão para mim e para os amigos que me acompanharam na sessão, não foi ruim, mas seria bom um pouco mais de desenvolvimento desse personagem antes de morrer, é bom se importar com as pessoas antes de baterem as botas. Enfim, coisas de Paul Anderson.  
 
Enquanto o grupo luta contra exércitos de mortos vivos, eles ainda precisam enfrentar as ameaças de Wesker e da rainha vermelha quando tentam entrar nas instalações do gigantesco laboratório subterrâneo. Tirando os zumbis e o Kipepeo (O morcego gigante que aparece no trailer), os monstros  que preenchem a história são do sexto game da franquia 'Residente Evil 6', e isso não é ruim, os monstros são grotescos e sanguinários.

Com muitas reviravoltas, Resident Evil: Capítulo Final 'fecha' com chave de ouro um ciclo da franquia iniciada em 2002. Milla Jovovich e Ali Larter estão ótimas e a vontade com as suas personagens, sem duvidas são as personagens com quem você mais se importa e torce para vencerem, mas ao mesmo tempo, é o filme em que Claire está 'insignificante', a sua participação se deve ao fato de amor que o público tem com ela, nada mais. As cenas de ação são eletrizantes e chegam a empolgar, principalmente num confronto que Alice tem com um membro asiático da Umbrella e um duelo envolvendo os famosos lasers.


Se você é fã e gostou da maioria dos filmes, não vai se decepcionar com esse, ele trás tudo que se quer ver numa sequência de Resident Evil: Sangue, mortes, criaturas, piruetas impossíveis e muita diversão. E devo ressaltar que Alice está menos 'robótica' que nos filmes anteriores, ela continua uma badass, só  que um pouco mais humana. Isaacs e Wesker continuam muito bem em seus papéis de vilões caricatos, e agora com motivos um tanto quanto genéricos, Iain Glen (Game of Thrones) e Shawn Roberts (Diário dos Mortos) nos dão o melhor que puderam dar dentro das limitações de seus caracteres, principalmente Roberts que teve que interpretar um Wesker não tão ameaçador como visto nos dois últimos filmes.

Esse é sem dúvidas a parte com mais peso dramático por parte de Alice, os eventos aqui são pessoais para ela e muitas revelações são expostas sobre seu envolvimento com a Umbrella, coisas que não sabíamos e que mesmo com alguns supostos vazamento de roteiro que aconteceram, podemos ter algumas surpresas, assim como também teremos alguns momentos clichês como a revelação de um traidor infiltrado no grupo.

Sobre o final, não creio que esse será realmente o filme de despedida da franquia...  Existem muitas possibilidades para Alice retornar a enfrentar criaturas e os monstros assustadores do universo Revil. Já pensaram se Alice enfrentasse Ramon Salazar em seu assustador castelo e os monstros infectados pela Las Plagas de Resident 4 como: Regenerator, Novistador e o Baitores Mendes? Seria demais. Não obstante, eu adoraria ver o que aconteceu com Chris, Jill, Leon e Ada... Eu não quero aceitar que eles tenham morrido sem mais nem menos, prefiro acreditar que eles estão por aí, lutando contra os Bows (Sigla para 'Bio Organic Weapon'. São os monstros do Resident Evil) que ainda estão no mundo. E sinceramente, torço para que tenha um Resident Evil: Capítulo Final Parte 2, para mostrar o que aconteceu com esses personagens tão queridos pelos fãs,  afinal, sonhar faz parte. Aliás, existe esperança já que a própria Milla Jovovich revelou em entrevista que aceitaria voltar para mais 'Residents', vamos aguardar!

Os Problemas de Resident Evil: Capítulo Final. (Spoilers abaixo).

Decidi escrever essa parte separadamente porque os fãs da franquia (como eu) sabem que existem muitos erros e mesmo assim estão no cinema vendo aos filmes. E esse longa, em particular, trás vários furos de roteiro que o público precisa engolir.

Segundo a história do T-Vírus narrado por Alice na introdução da película, Marcus criou o vírus para a sua filha... Mas, até então eu pensava que o Ashford havia criado o vírus para a sua filha Angela em 'Resident Evil: Apocalypse'.

A Rainha Vermelha matou todos os funcionários da Umbrella no primeiro filme para conter a infecção... Nesse filme ela não pode matar nenhum funcionário da Umbrella, então houve uma contradição aí, é um mero detalhe.

Albert Wesker era um super vilão quase imortal, ele não morreu em 'Recomeço' e nem em 'Retribuição' sobrevivendo a vários ferimentos fatais, para chegar em 'O Capítulo Final', ficar em segundo plano, ficar indefeso facilmente e ter um fim fraco.


Em algumas cenas de luta, a câmera mexe muito dificultando a visão do público sobre o que está acontecendo, além disso, em alguns momentos, a imagem fica escura demais impossibilitando a visão clara do cenário e das criaturas. Problemas semelhantes já aconteceram em filmes anteriores da franquia, mais especificadamente em 'Resident Evil: Apocalypse'.

Nesse caso, se formos colocar na balança, existem mais pontos positivos do que negativos, o público, quando vai ao cinema, sabe o que vai ver, e isso ajuda bastante. E mesmo que ele não seja o capitulo final propriamente dito, ele encerra o ciclo da Alice X Umbrella Corporation, por esse motivo a minha nota é: 7,0. Agora vamos aguardar para ver se esse foi ou não o 'Capitulo Final'.


Curiosidades

- A filha de Milla Jovovich, Ever Gabo Anderson, representa a Rainha vermelha.

- Ada Wong apareceria no filme mas a atriz Bingbing Li teve que sair do filme por conta da agenda.

- No segundo trailer do filme, durante a conversa de Dr. Isaacs com algumas pessoas, podemos ver ao lado oposto dele, o que parece ser a Alice velha em uma cadeira de rodas.

- No segundo trailer dublado/legendado podemos ver de mais perto e com mais clareza a Alice velha.

- Mais uma vez no segundo trailer dublado/legendado mais pro final dele podemos ver Alice chorando com algo na mão que parece ser A Cura para o T-Vírus.

- Sienna Guillory, que interpretou a Jill em Apocalypse, Recomeço (Somente nas cenas pós-créditos) e Retribuição, falou em seu twitter que não foi chamada para aparecer no filme. Ela, no entanto, agradeceu aos fãs da franquia pelo carinho.

- Ali Larter e Shaw Roberts retornam nos seus respectivos papéis como Claire Redfield e Albert Wesker.

- Será o último filme da franquia Resident Evil nos cinemas.

- Bloodshot e Kipepeo que estrelaram pela primeira vez nos jogos, estarão mais bizarros e monstruosos no último filme.

- A dublê da atriz Milla Jovovich (Olivia Jackson) se acidentou gravemente durante as gravações e teve que amputar o braço.

- O filme será novamente filmado em 4K, e formatado digitalmente em IMAX 3D, assim como em Resident Evil 4: Recomeço.

- É a primeira vez que um filme da franquia é trazido para o formato 4DX.

- Não existe menção ou alguma explicação do paradeiro dos personagens do filme anterior, sendo eles: Jill, Ada, Leon e Becky.

Criaturas

Zumbis: Inimigos básicos dos filmes, eram pessoas que foram infectadas pelo T-vírus. Eles tem uma espécie de mutação onde a sua boca abre em forma de flor para atacar as suas vítimas, além disso, podem ser extremamente rápidos, um tiro na cabeça é o modo mais eficaz de acabar com essas criaturas. São altamente mortais quando em grandes quantidades. Nos jogos eles são chamados de Majinis, mas eles possuem uma certa consciência e inteligencia, diferente do filme.


Bloodshot: É uma arma biológica resultante de uma mutação causada pelo C-vírus (Nos games) em alguns zumbis. Sua característica viral expõe todos os músculos do corpo, descartando a pele do infectado. Diferente dos zumbis normais, esses inimigos são dotados de grande força física e são muito mais ágeis, aqueles que tem a predisposição à mutação apresentam tom avermelhado na cabeça, assim como também se destacam com um vermelho brilhante nos olhos. Os Bloodshots atacam suas vítimas jogando-se contra elas e mordendo pelo pescoço. Além disso, quando se encontram perto do alvo, costumam atacar com as próprias mãos.

Kipepeo: É o único monstro do jogo 'Resident Evil 5' que está nesse filme, desenvolvidas pela Tricell (Nos jogos), essas Plagas são capazes de voar e deixam o corpo dos habitantes infectados após um grande dano ou a morte do hospedeiro. Tentam cercar os personagens, mas não são capazes de infligir muitos danos. No filme, os Kipepeo são mostrados em uma forma gigantesca, se aproximando do Popokarimu.





Cão zumbi C: Nos filmes eles são chamados por Wesker de Cerberus. No entanto esse nome é atribuído unicamente aos cachorros transmutados nas formas mostradas nos três primeiros filmes da franquia. Nesse longa, eles se tornaram bem mais ágeis, fortes a agressivos. Nos jogos eles são dessa forma por terem sidos expostos ao C-vírus.


Trailer



Ficha Técnica


Diretor: Paul W. S. Anderson.

Roteiro: Paul W. S. Anderson.

Elenco: Milla Jovovich, Ali Larter, Shawn Roberts, Willian Levy, Iain Glen, Eoin Macken, Fraser James, Ruby Rose, Rola, Ever Anderson.

Sinopse: Sobrevivente do massacre zumbi, Alice retorna para onde o pesadelo começou, Raccoon City, onde a Umbrella Corporation reúne as suas forças para um ataque final contra todos os remanescentes do apocalipse. Para vencer a dura batalha final e salvar a raça humana, a heroína recruta velhos e novos amigos.


Por: Michael Kaleel.

Description: Rating: 3.5 out of 5

Um comentário :

  1. O Paul Anderson poderia ter colocado os que sobreviveram no último filme (Leon, Ada, Jill, Becky e até mesmo Chris) para lutarem ao lado da Alice, Claire e até mesmo fazer duplas ou "parceria" com os que estavam lá só para morrer (Christian, Doc, Razor, Abigail e Cobalt) e assim desenvolver uma batalha magnânima contra as b.o.w.'s e os vilões.
    Isso seria aceitável para a trama e menos "queijo suíço" com os furos que o roteiro teve.
    Mas........ eu achei justo a nota 6.5 que foi dado nessa crítica. E digo mais! confesso que fiquei com aquela ?interrogação? no final do filme.... º´.ª

    Mais visão analítica e menos visão opinativa. Isso vale muito.

    ps: Cuidado com algumas palavras erradas ai no texto!
    ps²: Destaque para o japonês da Umbrella que deu um cacete na Alice kkkkk.

    ResponderExcluir