5 de junho de 2017

Critica: O Mestre dos Brinquedos - O Legado (2003)


E aí pessoal, hoje trouxe algo bem desnecessário para vocês, mais um filme da franquia 'Puppet Mater', filme esse que trás as nossas queridas marionetes: Blade, Jester, Pinhead, Six Shooters, Tunneler, Leech Woman e Torch, para mais uma sessão de assassinatos cruéis para proteger o seu mestre e a fórmula secreta. Será?... Bem, também chamado de 'O Mestre dos Brinquedos - O Legado', a saga chega a oitava parte com esse capítulo, dirigido por Charles Band, responsável por vários filmes do tipo como: "Dollman vs. Demonic Toys"(1993) e, mais para frente, outro filme da franquia "Puppet Master X: Axis Rising" (2012). E foi roteirizado pelo diretor do filme original de 1989, ou seja, David Schmoeller.


Como todos sabem, a franquia mudou muito do primeiro filme até o sétimo, os bonecos que eram malvados e faziam de tudo para proteger a fórmula que dá vida a objetos inanimados, ficam bonzinhos e passam a se preocupar com a vida de inocentes enquanto pessoas e demônios tentam descobrir tal segredo. Na parte 6, a história muda e não foca mais nas aventuras de Rick como o novo mestre dos brinquedos, a parte 7 funciona como uma prequel onde é mostrado a origem de Andre Toulon e seus primeiros bonecos. Essa parte 8 vai mostrar tudo o que aconteceu nos filmes anteriores, só que os colocando em ordem cronológica, só isso. 

O filme começa no hotel Bodega Bay, palco dos eventos narrados no filmes 1, 2,4 e 5... Uma mulher aparentemente está tentando descobrir o que Andre Toulon estava escondendo, ela começa a ler alguns arquivos para entender o que exatamente ela procura. Em outra parte do hotel um homem está preparando alguns equipamentos de química, sob a mesa estão algumas das famosas marionetes. A mulher, agora armada, se aproxima do homem que conversa com as marionetes enquanto ele prepara tudo. Rapidamente a moça o domina e diz que aquilo era um assalto e que ela só quer uma coisa, a fórmula de Andre Toulon.  

Logo ficamos sabendo que os arquivos que a mulher estava lendo um pouco antes, era o diário de Toulon que estava com um colecionador que ela havia matado há pouco tempo, logo mais vocês saberão quem era. Então, o homem pega alguns rolos de um gravador e dá para a moça escutar.

A partir daí começamos as ver os acontecimentos de 'O Mestre dos Brinquedos Retrô', com o jovem Toulon fazendo seus shows de marionetes com seus amigos, conhecendo o seu amor que mais tarde viria a ajudá-lo a cuidar dos brinquedos, recebendo de um mágico o poder e o segredo que dá vida as suas marionetes, e enfrentando demônios que queriam que a fórmula sumisse da face da terra. Vale lembrar que eles não vão mostrar o filme inteiro, mas sim os momentos mais importantes de cada parte. 

Aqui entendemos que após os eventos de 'O Mestre dos Brinquedos Retrô', André e sua mulher se tornaram fugitivos e foram parar na Alemanha, daqui por diante nós vemos os eventos de 'O Metre dos Brinquedos 3 A Vingança de Toulon', onde é nos mostrado que o homem que está sendo assaltado pela mulher cujo seu nome é Maclain, é o garoto Peter Hertz, menino esse que teve seus pais assassinados pelos nazistas e ajudou Toulon a enfrentar os nazistas que mataram a sua mulher, Elsa Toulon. 

Depois do fim das história do terceiro capítulo, Peter conta à Maclain que após a morte de seus pais, ele foi acolhido por sua família na América e embora tivesse contato com André através de cartas, nunca mais o viu pessoalmente. Como a última carta dele tinha como remetente o hotel Bodega Bay, ele decidiu ir investigar, lá ele encontrou os bonecos, Toulon já estava morto há muito tempo... Não acreditando na história, a moça dá um tiro na perna de Peter. Daí vemos o suicídio de Toulon (Primeiro filme) e os pesquisadores do segundo filme investigando sobre a presença das marionetes e do espírito de Toulon no hotel, assim como as mortes mais divertidas do segundo filme.


Após mais insistência da mulher em querer a fórmula, Peter pega outro rolo e coloca no gravador, dessa vez contando a história da única pessoa que descobriu o segredo de André Toulon, Rick Myers, o mestre dos brinquedos das partes 4 e 5. E mais uma vez nós vemos cenas dos dois filmes sendo que o resumo da parte 4 é da introdução que está presente no inicio da parte 5, então temos aqui a explicação de tudo que havia acontecido com Rick e seus amigos ao enfrentarem a marionete Totem e o demônio Sutekh. Após as cenas, voltamos para o casal no hotel, finalmente é dito que Rick foi a vítima que a assaltante Maclain matou para pegar o diário do André Toulon.   

Por fim, chegamos na 'Maldição do Mestre dos Brinquedos' onde mostra a família Magrew apresentando os bonecos para Robert. Também vemos o projeto do Sr. Magrew com Robert em criar um novo brinquedo e os assassinatos que os bonecos fazem contra alguns rivais da família. Embora o Dr. Magrew tenha conseguido, de uma forma diferente, dar vida a bonecos, o resultado acabou se mostrando ineficaz e acabou custando a sua vida. Porém, não é dito como os bonecos saíram da casa dos Magrews e foram parar no hotel outra vez, muito menos é dito o que aconteceu com a marionete Tank e a unica sobrevivente dos assassinatos, Jane Magrew.  


Enquanto escutam as gravações em áudio do Toulon, os bonecos atacam Maclain, Peter aproveita a oportunidade, pega a arma e atira na mulher... Antes de morrer, a moça revela os motivos pelo qual ela queria saber do segredo dá vida do mestre dos brinquedos, ela queria arranjar uma forma de matá-los uma vez que ela acredite que aquilo tudo nada mais era do que almas doentias de pessoas condenadas a ficarem em uma agonia eterna, presas nos bonecos. A assaltante morre e o filme acaba com Peter apontando a arma para a câmera e atirando. O que dá a entender é que os bonecos iriam tentar matá-lo uma vez que ele tenha impedido a sua 'salvadora' de acabar com o tormento deles.  

Então, no final de toda a análise, podemos dizer que 'O Mestre dos Brinquedos: O Legado' é um filme feito por preguiçosos para preguiçosos. É um resumão para as pessoas que não querem ver os filmes e só querem entender o que acontece em cada episódio. O único ponto novo e que agrega a mitologia, é o fato de ficarmos sabendo o que aconteceu com Peter e com Rick. Mas, será que esse filme era necessário? A edição é ruim, o áudio está atrasado em alguns momentos e os bonecos, exceto pelas cenas dos filmes passados, não fazem praticamente nada.   

Pela falta de criatividade e trabalho porco relacionado a edição, o filme perde muito em comparação com os anteriores. Podemos dizer que esse é o pior longa da franquia até aqui e, dessa forma, sendo um capítulo totalmente descartável. Se você quer entender a franquia, assista capítulo por capítulo todos os 7 primeiros filmes e divirta-se. Nota: 3,0. 
   Aqui vão algumas curiosidades sobre o filme:

- Em sua retrospectiva, Andre Toulon diz que o demônio Sutekh raptou sua noiva Elsa, porém, ela ainda não era noiva na ocasião do acontecimento citado.

- Os bonecos não participam ativamente do filme, só estão lá para caracterizarem o nome do filme.

- Todas as imagens dos bonecos em ação são arquivos de todos os filmes passados.

- Lançamento: 10 de agosto de 2004.

Ficha Técnica


Titulo: Puppet Mater: The Legacy.

Diretor: Charles Band.

Roteiro: C. Courtney Joyner, David Schmoeller.

Elenco: Kate Orsini, Jacob Witkin. Os outros personagens são dos filmes antigos mostrados nos flashbacks. 

Duração: 77 Minutos. 

Musica: Richard Band (Irmão de Charles Band). 

Sinopse: Em um quarto do Hotel Bodega Bay, a mercenária Maclain (Kate Orsini) lê o diário do falecido Andre Toulon à procura do segredo da vida, porém nada encontra. Quando ela desce ao porão encontra Eric (Jacob Witkin), cujo nome verdadeiro é Peter Hertz, conversando com as marionetes e o faz refém para que ele conte o segredo de Toulon. Assim, Eric conta a história que ela precisa ouvir.

Trailer

video

Por: Michael Kaleel.

Postar um comentário